Satanas e inferno



Origem do mal

Definição de satanás e demônios

Demônios e espíritos imundos

Inferno, EMI e ocultismo

Tabela de resumo e mais versículosos



















Originem do mal

O mal não é uma força original presente na criação, não há princípio primário representando o mal. O Altíssimo nunca coexistiu com uma consciência que influência significativamente sua atitude. Fazer o mal é uma ação que procede do livre arbítrio, é o produto de uma escolha que manifestamos em palavras e atos. Aqui rejeitamos a doutrina pagã de que o mal na Terra emana dos deuses ou de uma força divina pré-existente que se deteriorou no mundo e na matéria, desviando o homem de uma pureza natural. Nem o Criador incutiu uma fraqueza de sua natureza no homem à sua semelhança, mas lhe deu um espírito livre para criar seu futuro. O homem sábio (homo sapiens) de Gênesis é antes de tudo pó da terra, ou seja, o fruto do desenvolvimento e perfeição da natureza nas mãos daquele chamado EU SOU (Êxodo 3:14-15), o Deus de Moisés e Jesus. Ele é perfeitamente justo e bom (1 João 4:8).
Deuteronomios 32:4  Ele é a Rocha; suas obras são perfeitas, porque todos os seus caminhos são justos; Deus é fiel e sem iniqüidade; justo e reto é ele.

Se não há mal no início, caos, escuridão, noite, ordem, luz e dia são condições naturais e inacabadas dos céus e da terra no início da criação. O Eterno trabalha a natureza em seus diferentes estados e consegue fazer algo muito bom no final do primeiro capítulo do livro do Gênesis. Se a luz sair das trevas e a vida sair do caos, s inclinações e o mal só aparecerão mais tarde nos próximos episódios da história do Homem, no jardim simbólico do Éden. De fato, a árvore do conhecimento do bem e do mal é o sinal de responsabilidade em nossas vidas e devemos parar de dizer que se Deus existisse, esta ou aquela coisa não aconteceria. O caos e a vida estão diante de nós, se desobedecemos voluntariamente a princípios importantes do Pai Criador, não é correto acusá-lo e ficar zangado com ele por causa de infortúnios. As imperfeições da natureza também não devem ser percebidas como uma presença do mal, o homem é inteligente para trabalhar a imperfeição (assim como o Eterno com a escuridão e o caos na Terra) com o propósito de realização. Podemos aperfeiçoar o estado natural das coisas, evitar os desastres naturais que têm sua razão de ser, não construamos casas sobre a areia ou ao lado de um vulcão. O verdadeiro mal em questão é o que emana de nossa capacidade de fazer o bem e o mal.
Génesis 1:31 E viu Deus tudo quanto fizera, e eis que era muito bom. E foi a tarde e a manhã, o dia sexto.

Deutéronomios 30:15 Vê que hoje te pus diante de ti a vida e o bem, a morte e o mal.

Romanos 5:13  Porque antes da lei já estava o pecado no mundo, mas onde não há lei o pecado não é levado em conta

Reconhecer nossa imperfeição é uma renovação de nossa inteligência, uma busca por um positivo, uma transformação e evolução na criação. A criança aprenderá reconhecendo as palavras de seu Pai, a culpa do recém-nascido requer uma correção a fim de retificar e melhorar, o problema é sobretudo a incircuncisão de um coração, a persistência no erro que é a força do pecado. Em qualquer caso, mais uma vez, não podemos imaginar um deus imperfeito que nos tenha transmitido seus defeitos na criação, nem podemos condenar os espíritos angélicos demoníacos para os males do mundo. A teologia desenvolvida neste site não nos ensina a perda de um paraíso perdido para as forças demoníacas e uma batalha dos deuses dos panteões, as crenças paternais do ateísmo. Somos responsáveis por nossas ações e a criação aguarda a revelação dos filhos de Deus, os homens que são feitos semelhantes ao israelense Yeshua (Jesus), a glória do homem em Deus:
"Agora, Pai, glorifica-me contigo da gloiria que tinha antes que o mundo existisse de ti".

A história de Jesus não é a de um deus que veio do céu para combater criaturas demoníacas e salvar o mundo, Eterno não enviou o Super-Homem. Jesus é um homem como nós que se unirá perfeitamente ao pensamento do Pai Criador, de acordo com o projeto atual de fazer o homem à sua imagem. As palavras de Cristo nos despertam para a vida espiritual porque Ele nos revela Seu Pai e nosso Pai, para que possamos encontrar nosso verdadeiro lugar aos olhos do Altíssimo, depois que o adam (a primera humanidade) inicial caiu naturalmente por sua própria vontade no jardim da cultura.
Aqui estão os comentários de Claude Tresmontant1 : "E agora me glorifica... Este texto de forma alguma ensina a pré-existência do verdadeiro Homem unido ao verdadeiro Deus, ao contrário do que Orígenes de Alexandria e seus discípulos têm imaginado até hoje. Esta mitologia da pré-existência do Homem unido a Deus é rejeitada pelo Papa Leon, Carta a Julian, Bispo de Cos, 13 de junho de 449: "Mas isto, as inteligências e os ouvidos católicos não podem suportar... O que, na doutrina de Orígenes, foi justamente condenado... "este texto, como o anterior 8, 58, significa que Cristo, em quem se realiza a união substancial sem mistura, sem confusão, Conselho de Calcedônia, outubro 451 - do Homem recém-criado, a Deus o único não criado, verus homo vero unitus é Deo -, é ele quem é a finalidade de toda a criação, é para ele que toda a criação está a caminho, é para ele que ela tende, como uma mulher que dá à luz. Ele é o propósito, a realização, a plenitude e a razão de ser de toda a criação. O próprio Universo físico, desde seus primórdios, tende para aquele que é o alfa e ômega de toda a criação. A glória de Cristo é o objetivo e o fim da criação. Esta glória, que é o fim de toda a criação, pré-existe todo o Universo, na mente de Deus, uma vez que toda a história da criação tende para este único fim. E, portanto, Cristo pode falar da glória que era sua aos olhos de Deus, ou diante da face de Deus, antes da criação do mundo" .
Pode ler também o primero cap
ítulo da criação : https://www.desertpath.net/criacoes.htm

Repitamos, a Bíblia não quer nos ensinar uma doutrina de deuses caídos que destroem a humanidade, não estamos no meio de uma batalha entre os deuses do Panteão que existia antes da criação do homem. Depois desta breve introdução sobre a origem do mal, vejamos os dois episódios avançados para ensinar falsamente a queda dos anjos que se tornaram maus e rebeldes na Bíblia:
- No segundo verso do primeiro capítulo do Gênesis, podemos traduzir "E a terra se tournou desolada e vazia" ao invés de "E a terra era desolada e vazia". De acordo com uma interpretação, os anjos teriam se rebelado contra o Eterno muito antes do aparecimento da luz, da diminuição da água e da criação de plantas, e é por isso que o planeta teria se tornado caótico por culpa deles.
Podemos simplesmente pensar que a Terra estava caótica e deserta porque naturalmente se tornou como outros planetas, sem a intervenção do espírito do Eterno que ia se mover sobre as águas para dar à criação através de sua sabedoria e inteligência. Neste caso, a Terra se tornou caótica porque ainda não estava sob os cuidados do Criador.
Salmos 107:35  Converte o deserto em lagos, e a terra seca em nascentes.

- O segundo lugar mencionado para evocar a rebelião do anjo satanás está na história do Jardim do Éden. A serpente que tentou Eva seria um anjo mau ou uma criatura má que controla a serpente. Quer tomemos o texto literalmente ou simbolicamente, não podemos imaginar novos protagonistas para a história quando há uma busca por alguém responsável pelo erro cometido: uma criatura do céu não acusa Adão, que acusa Eva, que acusa a serpente. Além disso, o texto escreve claramente que a serpente é um animal astuto do campo que o Eterno tinha feito, portanto o animal não era um anjo celestial malvado e não lemos nenhum caso de possessão. Estamos testemunhando um diálogo entre o pensamento animal e humano, a serpente representa o que não é espiritual e celestial, ao contrário, é muito realista, astuta, sem lei, buscando seu próprio interesse por seu instinto. O homem animal que raciocina com o pensamento animal não consegue se elevar ao Eterno, à vida espiritual.
Génesis 3:1  Ora, a serpente era o mais astuto de todos os animais do campo, que o Eterno Deus tinha feito. E esta disse à mulher: É assim que Deus disse: Não comereis de toda árvore do jardim?

No livro simbólico do Apocalipse, esta antiga serpente reaparece, é o sistema de pensamento animal que se alimenta do homem, por isso parece mais poderoso e feroz, sob a forma de um grande dragão vermelho. Este capítulo não ensina que o satanás anjo mau é um dragão que tem chifres e lutará com a ajuda de seus companheiros maus. A antiga serpente que rasteja na poeira e o dragão voador são ambas personificações da adversidade (do hebraico satanás) em duas épocas diferentes. Os homens, inclusive os das esferas religiosa e política, são arrastados por este sistema de desobediência ao criador e sua criação (destruição da terra, guerras, frascos de cólera...). A mulher representa os crentes que se encontram no Deserto para escapar dele, o lugar é precioso para a preservação e o nascimento daquele que se eleva a Deus. Meu site é parcialmente baseado nesta imagem, olhando para o Eterno na assembléia do deserto, camuflado, saindo da Babilônia.
Apocalipse 12:1-6 E viu-se um grande sinal no céu: uma mulher vestida do sol, tendo a lua debaixo dos seus pés, e uma coroa de doze estrelas sobre a sua cabeça. E estando grávida, gritava com as dores do parto, sofrendo tormentos para dar à luz. Viu-se também outro sinal no céu: eis um grande dragão vermelho que tinha sete cabeças e dez chifres, e sobre as suas cabeças sete diademas;
The great red dragon stands before her, ready to devour her child a sua cauda levava após si a terça parte das estrelas do céu, e lançou-as sobre a terra; e o dragão parou diante da mulher que estava para dar à luz, para que, dando ela à luz, lhe devorasse o filho. E deu à luz um filho, um varão que há de reger todas as nações com vara de ferro; e o seu filho foi arrebatado para Deus e para o seu trono.
when she is delivered she flees into the wilderness  E a mulher fugiu para o deserto, onde já tinha lugar preparado por Deus, para que ali fosse alimentada durante mil duzentos e sessenta dias.












Definição de satanás e demônios

O hebraico "satanás" é um verbo que significa "opor-se" e a palavra grega "diabolos", geralmente traduzida como diabo, significa "acusador". Essas duas palavras não se referem explicitamente de um anjo rebelde que está tentado constantemente seduzir os homens desde a criação. Esta criatura sobrenatural e diabólica não existe, você realmente acha que uma criatura pode dizer a seu próprio criador :
- "meu criador, vou destruir a humanidade para provar que você está errado, mesmo que você já tenha previsto que nem todos os homens escolherão o bem e que eu perecerei com eles". E então novamente:
- "Perdi contra o homem o Messias Jesus, mas sou verdadeiramente um homem inteligente e teimoso contra o criador, por isso farei os homens pecar novamente para que possam perecer comigo".
Exodo 32:32  Agora, pois, perdoa o seu pecado; ou se não, risca-me do teu livro, que tens escrito.
Exodo 33:33  Então disse o Senhor a Moisés: Aquele que tiver pecado contra mim, a este riscarei do meu livro (Apocalipse  20:15).

Sejamos claros, não estamos negando a existência do "satanás" porque estamos questionando sua definição e natureza. O ensino do judaísmo e o de uma pequena minoria de cristãos (cristãos independantes como nós ou a nominação Cristadelfinos2) também não aceita as fábulas do anjo caído chamado "Lúcifer" ou o Jinn muçulmano criado pelo fogo. Eterno é o bem e o mal está ligado às nossas más ações, não devemos ter uma fobia de criaturas invisíveis do mal andando em nosso ambiente, especialmente se formos justos. Algumas igrejas têm vindo para posicionar os crentes nas portas para expulsar demônios que gostariam de entrar em seu salão de oração. Também houve momentos em que as pessoas foram atraídas à fé através do medo! Mas a pior coisa é não nos responsabilizarmos mais por atos abomináveis alegando que uma criatura maligna passou a nos possuir inteiramente, como no famoso filme de terror O Exorcista dirigido por William Friedkin.
Isa
ías 45:5  Eu sou o Eterno, e não há outro; fora de mim não há Deus; eu te cinjo, ainda que tu não me conheças.
Isa
ías 45:6  Para que se saiba desde o nascente do sol, e desde o poente, que fora de mim não há outro; eu sou o Senhor, e não há outro.
Isa
ías 45:7  Eu formo a luz, e crio as trevas; eu faço a paz, e crio o mal; eu sou o Eterno, que faço todas estas coisas.

O que é satanás? Satanás ("ha satan" em hebraico) é o adversário que se opõe à vontade de alguém: um homem, um mensageiro, um grupo, um exército, uma ideologia.
Satanás não escapa do controle do Eterno, ele não é capaz de lutar incansavelmente contra o Todo-Poderoso, como o falso ensinamento do livro de Adão e do Alcorão com seus gênios ciumentos. Temos também o livro de Enoque que fala da deboche sexual das criaturas celestes com as mulheres humanas. Infelizmente, estas explicações são as mais comumente aceitas no mundo cristão e muçulmano, como evidenciado por os comentários no início do capítulo 6 de Gênesis. Autores judeus misturaram o pentateuco (os cinco primeiros livros da Bíblia) com comentários e crenças pagãs. Se os erros de um texto forem muito grandes, não podemos mais considerá-lo 'inspirado'. Vamos tentar examinar as escrituras como os judeus de Berea
(Atos 17:11).
N
úmeros 22:22  A ira de Deus se acendeu, porque ele ia, e o anjo do Eterno pôs-se-lhe no caminho por adversário (satan). Ora, ele ia montado na sua jumenta, tendo consigo os seus dois servos.

Mateus 16:21-23  Desde então começou Jesus Cristo a mostrar aos seus discípulos que era necessário que ele fosse a Jerusalém, que padecesse muitas coisas dos anciãos, dos principais sacerdotes, e dos escribas, que fosse morto, e que ao terceiro dia ressuscitasse. E Pedro, tomando-o à parte, começou a repreendê-lo, dizendo: Tenha Deus compaixão de ti, Senhor; isso de modo nenhum te acontecerá.
Ele, porém, voltando-se, disse a Pedro: Para trás de mim, Satanás, que me serves de escândalo; porque não estás pensando nas coisas que são de Deus, mas sim nas que são dos homens.

1Rei 22:19-23  Micaías prosseguiu: Ouve, pois, a palavra do Eterno! Vi o Eterno assentado no seu trono, e todo o exército celestial em pé junto a ele, à sua direita e à sua esquerda. E o Eterno perguntou: Quem induzirá Acabe a subir, para que caia em Ramote-Gileade? E um respondia de um modo, e outro de outro. Então saiu um espírito, apresentou-se diante do Eterno, e disse: Eu o induzirei. E o Eterno lhe perguntou: De que modo? Respondeu ele: Eu sairei, e serei um espírito mentiroso na boca de todos os seus profetas. Ao que disse o Eterno: Tu o induzirás, e prevalecerás; sai, e faze assim. Agora, pois, eis que o Eterno pôs um espírito mentiroso na boca dentes da casa dele; sim, tornarei a tua casa como a casa de respeito de ti.

A Bíblia usa muitas metáforas, personificações e símbolos. A compreensão do estilo literário e do contexto é essencial para evitar ser influenciada por falsas crenças. Nos textos acima, você já notou que Satanás não é um ser maligno e que você tem que interpretar para crer nisso? Os capítulos de Ezequiel e Isaías são frequentemente avançados para provar a existência do anjo satanás, mas um exame mais atento mostra que reis e príncipes são simbolicamente descritos como coisas celestiais, estrelas. O capítulo de Ezequiel é um poema, um lamento. Por que não ver nestes capítulos uma correspondência com a figura de Adão (Romanos 5:14) que viveu junto às pedras preciosas e à árvore da vida? Este rei era grande e poderoso como um anjo do céu.
- Ezequiel 28:11-19 E Veio mais a mim a palavra do Eterno, dizendo: Filho do homem, levanta uma lamentação sobre o rei de Tiro, e dize-te: Assim diz o Eterno Deus: Tu eras o selo da perfeição, cheio de sabedoria e perfeito em formosura. Estiveste no Éden, jardim de deus; cobrias-te de toda pedra preciosa: a cornalina, o topázio, o ônix, a crisólita, o berilo, o jaspe, a safira, a granada, a esmeralda e o ouro. Em ti se faziam os teus tambores e os teus pífaros; no dia em que foste criado foram preparados. Eu te coloquei com o querubim da guarda; estiveste sobre o monte santo de Deus; andaste no meio das pedras afogueadas. Perfeito eras nos teus caminhos, desde o dia em que foste criado, até que em ti se achou iniqüidade. Pela abundância do teu comércio o teu coração se encheu de violência, e pecaste; pelo que te lancei, profanado, fora do monte de Deus, e o querubim da guarda te expulsou do meio das pedras afogueadas. Elevou-se o teu coração por causa da tua formosura, corrompeste a tua sabedoria por causa do teu resplendor; por terra te lancei; diante dos reis te pus, para que te contemplem. Pela multidão das tuas iniqüidades, na injustiça do teu comércio, profanaste os teus santuários; eu, pois, fiz sair do meio de ti um fogo, que te consumiu a ti, e te tornei em cinza sobre a terra, à vista de todos os que te contemplavam.
Todos os que te conhecem entre os povos estão espantados de ti; chegaste a um fim horrível, e não mais existirás, por todo o sempre.

- Isaías 14:12-17  Como caíste do céu, ó estrela da manhã, filha da alva! como foste lançado por terra tu que prostravas as nações!
 E tu dizias no teu coração: Eu subirei ao céu; acima das estrelas de Deus exaltarei o meu trono; e no monte da congregação me assentarei, nas extremidades do norte;
 subirei acima das alturas das nuvens, e serei semelhante ao Altíssimo. Contudo levado serás ao Seol, ao mais profundo do abismo.
 Os que te virem te contemplarão, considerar-te-ão, e dirão: É este o varão que fazia estremecer a terra, e que fazia tremer os reinos?
 Que punha o mundo como um deserto, e assolava as suas cidades? que a seus cativos não deixava ir soltos para suas casas?

Tiro era uma bela cidade e rica em comércio, o rei se elevava espiritualmente como um deus, esquecendo-se dos valores e preceitos do criador. O Eterno corrigirá severamente o rei que se corrompeu, lembrando-o de que ele é apenas um homem. Metaforicamente, temos um deus, um chefe dos anjos, uma estrela brilhante que cai de sua glória, de seu pedestal! Eterno não usa uma metáfora para nos fazer literalmente imaginar a existência de um arcanjo demoníaco em algumas linhas do capítulo, o contexto sempre se refere à mesma pessoa, o rei de Tiro. Figuras importantes são frequentemente comparadas a estrelas e vigilantes na Terra, já no capítulo de Isaías, o rei da Babilônia era semelhante a um "Lúcifer" (estrela brilhante), um título honorário dado a Yeshua (Jesus) em 2 Pedro 1:19.
Gênesis 37:8-9 Responderam-lhe seus irmãos: Tu pois, deveras reinarás sobre nós? Tu deveras terás domínio sobre nós? Por isso ainda mais o odiavam por causa dos seus sonhos e das suas palavras.
Teve José outro sonho, e o contou a seus irmãos, dizendo: Tive ainda outro sonho; e eis que o sol, e a lua, e onze estrelas se inclinavam perante mim.
.

Números 24:17  Eu o vejo, mas não no presente; eu o contemplo, mas não de perto; de Jacó procederá uma estrela, de Israel se levantará um cetro que ferirá os termos de Moabe...

Apocalipse  22:16  Eu, Jesus, enviei o meu anjo para vos testificar estas coisas a favor das igrejas. Eu sou a raiz e a geração de Davi, a resplandecente estrela da manhã.

Satanás pode ser encontrado em todos os lugares da Bíblia, desde que saibamos que ele é uma oposição importante. O espírito de adversidade aparece desde a criação em muitas formas e em muitas situações. Satanás não é um anjo mau que cai várias vezes do céu por diferentes razões : Gênesis 1:2, Gênesis 3:14:15, Gênesis 6:1-3; 1 Rei 22, Isaías 14, Ezequiel 28, Lucas 10:18.
O mito da enchente que mencionamos anteriormente também é usado para ensinar a queda dos anjos, diz-se que um exército maligno acasalou com as mulheres. Na realidade, o Eterno regula a ordem da espécie, um homem não pode dar uma progenetura com um animal e um touro com uma cabra ou um vegetal. Os "filhos de Deus" eram homens com o conhecimento do Eterno, que conheciam as mulheres de outros povos. Eles abandonaram o Criador, a mente razoável do Criador, para se entregarem às abominações que Moisés colocaria por escrito na lei.
Gênesis 6:1-5  Sucedeu que, quando os homens começaram a multiplicar-se sobre a terra, e lhes nasceram filhas, viram os filhos de Deus que as filhas dos homens eram formosas; e tomaram para si mulheres de todas as que escolheram. Então disse o Eterno: O meu Espírito não permanecerá para sempre no homem, porquanto ele é carne, mas os seus dias serão cento e vinte anos.
Naqueles dias estavam os nefilins na terra, e também depois, quando os filhos de Deus conheceram as filhas dos homens, as quais lhes deram filhos. Esses nefilins eram os valentes, os homens de renome, que houve na antigüidade. Viu o Eterno que era grande a maldade do homem na terra, e que toda a imaginação dos pensamentos de seu coração era má continuamente
.

Já vimos que a palavra grega para diabo significa "acusador", muitas vezes são pessoas e coisas que se opõem (satanás) ao Eterno para acusar (diabo). Por exemplo, a pessoa condenada pela lei por praticar o mal está no tribunal, perto do anjo figurativo da morte: "satanás o acusador". Os termos "Satanás" e "Diabo" estão, portanto, ligados, como em Apocalipse 12:9 e 20:2.
Jesus-Messias (Jesus o amado e ungido de Deus) tem a função de ser o Coringa dos pecadores. Ele é nomeado "Advogado" nos Evangelhos porque primeiro mostra a face mais bela do Pai: graça, misericórdia, perdão, verdade, amor. O apóstolo Paulo nos diz que o amor divino perdoa, é desta forma que o Eterno nos chama através dos enviados João e Jesus. Naturalmente, precisamos de uma mudança em nosso ser interior em direção ao Criador, um passo de boa consciência em direção ao Pai que se expressa no símbolo do Batismo. A nação de Israel tinha em sua lei sanções por transgressões, Cristo é o dom que limpa a ardósia das acusações (uma acusação justa não é má em si mesma, a lei não é diab
ólica) e derrota o acusador (aqueles que querem usar a justiça e esta ardósia para condenar) do tribunal com um espírito que vai até "pagar o preço da vida pela esperança da mudança do Homem (sacrifício)". No dia em que o mal e o pecado não mais florescerem no homem, poderemos dizer que o diabo, a besta, o espírito da mentira não pode mais se opor e nos acusar, eles serão como se fossem destruídos/torcidos no fogo com os demônios de nosso próximo capítulo.
Apocalipse 20:10  e o Diabo, que os enganava, foi lançado no lago de fogo e enxofre, onde estão a besta e o falso profeta; e de dia e de noite serão atormentados pelos séculos dos séculos.












Demônios e espíritos imundos

Se satanás e o diabo geralmente se referem àqueles que se opõem a alguém, o que dizer dos demônios e espíritos imundos das escrituras? Estas são as características do adversário (satanás).
Os demônios são os vetores da adversidade, os mensageiros (anjos) de satanás por causa do pecado que emana do mal. Em nossa linguagem cotidiana, eles são os frutos da maldade: adultério, luxúria, roubo, idolatria, assassinato, mentira. Na Bíblia, o rei Saul estava perturbado por tais pensamentos, tinha um espírito impuro de ciúmes (1 Samuel 16:14), tentou várias vezes matar Davi depois de ser infiel a Deus como um rei ungido. O deus Mamon também é um demônio, o ídolo da "possessão". Demônios e espíritos imundos são expulsos pela fé, arrependimento, jejum e oração que nos transformam..
Mateus 6:24 Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou há de odiar a um e amar o outro, ou há de dedicar-se a um e desprezar o outro. Não podeis servir a Deus e às riquezas.

Em outras palavras, um demônio é a inclinação maligna, o produtor do pecado na mente de um indivíduo, também podemos usar os termos "espíritos impuros". Os demônios na Bíblia são:
- os falsos deuses mencionados em todos os textos hebraicos, são criações malignas feitas pela mente e pela mão do homem.
- nossos vícios: assassinatos, roubos, idolatria...
- aqueles que não fazem a vontade do Eterno e ensinam falsas crenças: falsos ensinamentos, falsas profecias...
- os doentes psíquicos e psicológicos, cuja origem nem sempre é cientificamente explicada: distúrbios de personalidade dissociativos, esquizofrenia...
- uma personificação ou símbolo de algo ou alguém que se opõe ao criador em uma parábola.
- um anjo ou pensamento poderoso de confusão vindo do Eterno que leva ao erro, especialmente sobre aqueles que amam mentiras e invocam espíritos, os mortos: ilusão, aparência de uma pessoa falecida...
João 10:20  E muitos deles diziam: Tem (Jesus) demônio, e perdeu o juízo; por que o escutais?

Mateus 11:18  Porquanto veio João, não comendo nem bebendo, e dizem: Tem demônio.

2 Córintios 12:7 E, para que me não exaltasse demais pela excelência das revelações, foi-me dado um espinho na carne, a saber, um mensageiro de Satanás para me esbofetear, a fim de que eu não me exalte demais;

Mateus 9:32-33 Enquanto esses se retiravam, eis que lhe trouxeram um homem mudo e endemoninhado (alguns não identificaram a origem da doença da mesma maneira)
E, expulso o demônio, falou o mudo e as multidões se admiraram, dizendo: Nunca tal se viu em Israel.

João Batista não tinha nenhuma doença e não fez milagres, mas vemos que foi acusado de ter um demônio, por causa de seu ensino desagradável. Jesus também foi acusado desta forma.
Paulo foi enfraquecido por um anjo de Satanás, ele teve que suportar uma doença ou um ferimento vindo da mão do Eterno, talvez por causa do orgulho? Então vão me dizer que se é verdade que os contemporâneos de Jesus poderiam se expressar desta maneira, ainda não se prova que os demônios não existem. A hipótese é admissível e deixarei aos leitores a consideração dos outros pontos que levantaremos neste assunto. A crença em demônios sempre assombrou o homem, nossos sonhos personificam o mal e devemos interpretá-los bem. A liberação de pacientes presos em asilos psiquiátricos nos mostraria perfis que correspondem aos espíritos impuros e aos demônios dos evangelhos. Hoje, nossa linguagem é mais racional e técnica devido ao nosso conhecimento científico das doenças
.
Tiago 1:12-15  Bem-aventurado o homem que suporta a provação; porque, depois de aprovado, receberá a coroa da vida, que o Senhor prometeu aos que o amam.
Ninguém, sendo tentado, diga: Sou tentado por Deus; porque Deus não pode ser tentado pelo mal e ele a ninguém tenta.
Cada um, porém, é tentado, quando atraído e engodado pela sua própria concupiscência;
então a concupiscência, havendo concebido, dá à luz o pecado; e o pecado, sendo consumado, gera a morte.

O leitor também é influenciado pelo pensamento e escritos gregos, lembrando que as palavras de Jesus foram ditas pela primeira vez em hebraico e aramaico. As traduções e crenças da época têm um impacto não-negligenciável na nossa compreensão de um texto, as frases nem sempre são reproduzidas na exatidão do discurso de um profeta. Por exemplo, nenhum profeta anuncia a projeção de demônios de forma literal, como parece ser verdade nos Evangelhos (Isaías 29:18-19; Isaías 32:3-4; Isaías 35:5-6; Lucas 7:22). Temos outras pistas, acontece que o demônio é identificado diretamente como uma doença, é o caso do Evangelho de Mateus que fala claramente de um lunático (Mateus 17:15; Marcos 9:22; Lucas 9:38-42). Se está escrito que Jesus expulsou os demônios dos doentes, podemos entendê-lo no sentido de que os pecados e as anormalidades do corpo deveriam ser reparados. Na neurologia, explica-se que as pessoas se curam encontrando a origem de sua doença; muitos médicos explicam isso2. Ler as palavras de Jesus Cristo é uma libertação, elas nos trazem repostas para nos guiar até o reino de Deus.
Marcos 1:34 e ele curou muitos doentes atacados de diversas moléstias, e expulsou muitos demônios; mas não permitia que os demônios falassem, porque o conheciam. (Mateus 12:16-21).

Miquéias 7:19 Tornará a apiedar-se de nós; pisará aos pés as nossas iniqüidades. Tu lançarás todos os nossos pecados nas profundezas do mar.

Exodo 4:11  Ao que lhe replicou o Eterno: Quem faz a boca do homem? ou quem faz o mudo, ou o surdo, ou o que vê, ou o cego?. Não sou eu, o Eterno?

Além disso, em nossa análise, não podemos descartar a intertextualidade e a textura sociocultural de um capítulo em relação à obra como um todo, os profetas e a escrita revelam diferentes grelhas e códigos de leitura. As dez pragas do Egito, a tentação de Jesus no deserto e os milagres devem ser apresentados em uma visão integral coerente que deve harmonizar as aparentes inconsistências levantadas por nossa leitura. É possível que as Dez Chagas do Egito tenham durado aproximadamente um ano, mas não sabemos, porque temos uma versão rápida dos fatos que foram transcritos mais tarde em algumas páginas. A Tentação de Jesus no Deserto é também um resumo de um pedaço da vida de Jesus no deserto em uma pequena passagem da Bíblia. Os Evangelhos também diferem na ordem dos eventos e números, pois são testemunhos de diferentes autores.
Salmos 78:1  Escutai o meu ensino, povo meu; inclinai os vossos ouvidos às palavras da minha boca.
2 Abrirei a minha boca numa parábola; proporei enigmas da antigüidade,
3 coisas que temos ouvido e sabido, e que nossos pais nos têm contado.

Tomemos o exemplo da tentação de Yeshua (Jesus) no deserto. Nesta passagem, podemos entender que ele teve uma visão ou sonho que leva Jesus a uma alta montanha (que não existe) e ele vê a glória que poderia obter aceitando a mentalidade dos líderes religiosos e seus falsos ensinamentos dos judeus (o satanás judeu). Mas a reação de Jesus a satanás será saudável, ele responde com o primeiro mandamento: "Amai ao Eterno diante a sua glória". Observemos também que os milagres não são relatados exatamente como estão escritos em nossos textos gregos, às vezes há discrepâncias na ordem. Adições tardias podem ter embelezado o texto e revelado uma grade de leitura diferente. Por exemplo, um homem capaz de destruir correntes de ferro várias vezes (Marcos 5:4) não é possível, esta adição permite outro ensinamento: o homem demoníaco representa Israel/Jacó acorrentado pelo Império Romano por causa de seus pecados, quem o livrará das correntes de ferro? Note o nome dos demônios, eles são chamados de "Legião"!  Como não pensar nas legiões romanas? Mais uma vez, a conclusão que devemos tirar é de escutar e de observar as palavras do Eterno através dos profetas e do Messias será uma libertação em nossas vidas. O processo de santificação faz milagres e remove as cadeias de ferro do pecado para manifestar o novo homem, a nova criação na nossa evolução.
Lev
íticos 20:26  E sereis para mim santos; porque eu, o Eterno, sou santo, e vos separei dos povos, para serdes meus.

1Pedro 1:16 porquanto está escrito: Sereis santos, porque eu sou santo.

João 17:11  Eu não estou mais no mundo; mas eles estão no mundo, e eu vou para ti. Pai santo, guarda-os no teu nome, o qual me deste, para que eles sejam um, assim como nós.












Inferno, EMI e ocultismo

Muitos crentes ensinam que o Criador é capaz de lançar Sua própria criatura em um lugar de sofrimento eterno. Não seria melhor não criar nada do que saber antecipadamente que há uma condenação horrível para certas criaturas?  O criador não é um deus sádico, este tipo de punição eterna é muito severa e desproporcional na escala do julgamento. Pagamos o preço por nossa maldade, mas longe de nós ensinar o sofrimento eterno num incêndio, não importa quão culpados possamos ser. Esta falsa doutrina só dá uma imagem ruim do Pai Criador. Na Bíblia, Hades e Geena não são lugares onde os mortos vivem, portanto não espere encontrar um anjo demoníaco apontando sua forquilha para você.
Mateus 25:41  Então dirá também aos que estiverem à sua esquerda: Apartai-vos de mim, malditos, para o fogo eterno, preparado para o Diabo e seus anjos; 

O lago de fogo na Bíblia é como um fogo na chaminé alimentado por toras, os pedaços de madeira seriam o homem mau que se queima, eles não queimam para sempre em um fogo que não se apaga. Vamos tentar demonstrar que o símbolo do fogo eterno representa a morte eterna. O próprio Jesus diz que aqueles que não acreditam perecerão, é bom que não continuem a viver na Terra ou em outra dimensão. Ruína, castigo, tristeza e tormento eterno não são dores infindáveis no inferno, são expressões que expressam julgamento e derrota. As duas cidades de Sodoma e Gomorra que sofreram dor ou destruição eterna, não as imaginemos chorando e ardendo continuamente com seus habitantes em algum lugar.
Judas 1:7 assim como Sodoma e Gomorra, e as cidades circunvizinhas, que, havendo-se prostituído como aqueles anjos, e ido após outra carne, foram postas como exemplo, sofrendo a pena do fogo eterno.

2 Tessalonicenses 1:9  os quais sofrerão, como castigo, a perdição eterna, banidos da face do senhor e da glória do seu poder,

Apocalipse 14:11  A fumaça do seu tormento sobe para todo o sempre; e não têm repouso nem de dia nem de noite os que adoram a besta e a sua imagem, nem aquele que recebe o sinal do seu nome.

Os textos hebraicos falam do "Sheol" para se referir ao inferno ou Hades, um lugar onde aqueles que não vivem mais, seus corpos se transformaram em pó na cova. Enquanto a Geena ou o lago de fogo lembra o Vale de Hinnon (Jeremias 7:31), um lugar onde os vermes aparecem constantemente para se alimentarem do lixo. O Eterno é justo, ele pesa nossas obras; aqueles que de boa vontade rejeitaram o Eterno não sofrerão eternamente, mas colherão os frutos de suas obras: não tendo seu nome escrito no livro simbólico da vida. O primeiro e último livro da Bíblia contém muitos símbolos, tenhamos cuidado em nossas interpretações, a compreensão de todos os versículos no sentido literal é claramente um erro a ser evitado para não desenvolver crenças contrárias ao pensamento do Altíssimo (Deuteronômio 30:19). Jesus falou em parábolas, as imagens que ele nos dá devem ser entendidas corretamente. A idéia a lembrar é que a separação do Pai Criador por causa do mal é uma desgraça.
Mateus 5:27-29 Ouvistes que foi dito: Não adulterarás.
28 Eu, porém, vos digo que todo aquele que olhar para uma mulher para a cobiçar, já em seu coração cometeu adultério com ela.
29 Se o teu olho direito te faz tropeçar, arranca-o e lança-o de ti; pois te é melhor que se perca um dos teus membros do que seja todo o teu corpo lançado no inferno.

Apocalipse 20:11-15  E vi um grande trono branco e o que estava assentado sobre ele, de cuja presença fugiram a terra e o céu; e não foi achado lugar para eles.
12 E vi os mortos, grandes e pequenos, em pé diante do trono; e abriram-se uns livros; e abriu-se outro livro, que é o da vida; e os mortos foram julgados pelas coisas que estavam escritas nos livros, segundo as suas obras.
13 O mar entregou os mortos que nele havia; e a morte e o hades entregaram os mortos que neles havia; e foram julgados, cada um segundo as suas obras.
14 E a morte e o hades foram lançados no lago de fogo. Esta é a segunda morte, o lago de fogo.
15 E todo aquele que não foi achado inscrito no livro da vida, foi lançado no lago de fogo.

E os testemunhos de experiências de morte eminentes (EMI)? Aqui entramos num estado de consciência alternativo, o cérebro reagirá a fortes sensações que marcarão a pessoa durante sua vida. Temos uma mistura do inconsciente coletivo dos sonhos e uma "consciência que se torna consciente" da realidade, mais precisamente da importância da vida em um nível metafísico. A experiência e a cultura mostrarão diferentes visualizações da experiência dependendo da pessoa, mas geralmente encontramos a mesma projeção, reflexão e significado são relativamente os mesmos. Na Europa, as pessoas evocam um túnel que leva a uma luz suave, às vezes elas observam ou sentem os seres. O túnel é o sinal do caminho espiritual que o homem tem que percorrer, a luz ao final do túnel é o objetivo positivo a ser alcançado durante a vida. Os seres podem ser pessoas em nossas vidas ou pessoas conhecidas que nos acompanharam em nossas idéias. Aqueles que já experimentaram uma EMI muitas vezes saem chateados porque a experiência traz naturalmente à tona a importância da espiritualidade em nossas vidas. Não devemos permanecer presos às imagens que experimentamos, mas avançar em busca do bem e da luz do Inteligente que chama a si todas as coisas. Para a pequena minoria que viu o inferno, talvez eles precisem buscar um ensinamento que gire em torno das correntes que possam ter usado em suas vidas. Também devemos ter cuidado porque há falsos testemunhos e falsas interpretações, voluntárias e involuntárias, que levam a falsas crenças.
Nosso ensino e filosofia devem ser construídos com base no
conhecimento da realidade científica e do raciocínio lógico.
Jeremias 23:29  Sou eu apenas Deus de perto, diz o Senhor, e não também Deus de longe?
24 Esconder-se-ia alguém em esconderijos, de modo que eu não o veja? diz o Senhor. Porventura não encho eu o céu e a terra? diz o Senhor.
25 Tenho ouvido o que dizem esses profetas que profetizam mentiras em meu nome, dizendo: Sonhei, sonhei.
26 Até quando se achará isso no coração dos profetas que profetizam mentiras, e que profetizam do engano do seu próprio coração?
27 Os quais cuidam fazer com que o meu povo se esqueça do meu nome pelos seus sonhos que cada um conta ao seu próximo, assim como seus pais se esqueceram do meu nome por causa de Baal.
28 O profeta que tem um sonho conte o sonho; e aquele que tem a minha palavra, fale fielmente a minha palavra. Que tem a palha com o trigo? diz o Senhor.
29 Não é a minha palavra como fogo, diz o Senhor, e como um martelo que esmiúça a pedra?
30 Portanto, eis que eu sou contra os profetas, diz o Senhor, que furtam as minhas palavras, cada um ao seu próximo.

Vamos terminar este capítulo mencionando feiticeiros, curandeiros e xamãs. Podemos classificá-los em três grupos:
- charlatões que podem fazer você acreditar em coisas em que eles mesmos não acreditam, não têm remorso para mentiras, são gananciosos e notórios, Mammon é o deus deles. Alguns podem procurar a menor pista sobre você para conhecê-lo melhor (através de redes sociais, por exemplo) e vangloriar-se de sua capacidade divinatória. Foram feitos documentários sobre este fato.
- Bons conhecedores da natureza que misturam suas experiências e conhecimentos com crenças (espiritismo...). É melhor consultar um médico que confia em seu conhecimento da homeopatia, sem lhe falar de suas crenças, do que visitar um curandeiro que lhe oferece plantas acompanhado de ritos mágicos inúteis que o afastam do Criador.
- As pessoas que têm uma forte sensibilidade natural com a energia e as ondas que circulam ao nosso redor, ainda não são poderes sobre-humanos. Por exemplo, uma pequena minoria de pessoas se isola na natureza para escapar das ondas. Outros afirmam acalmar as queimaduras, sejam eles crentes ou não. Um cristão não deve apressar-se para julgar e condenar uma pess
oa.
Lucas 8:43 certa mulher, que tinha uma hemorragia havia doze anos [e gastara com os médicos todos os seus haveres] e por ninguém pudera ser curada,

Colossiens 4:14 Saúda-vos Lucas, o médico amado, e Demas.

Vou deixar três conselhos que me parecem indispensáveis:
- se é o Eterno que realmente quer te curar, ele o faria diretamente, gratuitamente e não pela metade.
- verificar a crença da pessoa, ele lhe explica que tem o poder sobrenatural de curar por meio de...
- a bíblia proíbe a magia, a convocação dos mortos, a bruxaria e todos os jogos de adivinhação.
O Eterno pode enviar seu anjo ou um poder confuso para manter a pessoa acreditando no que sua consciência quer acreditar.

2 Tessalonicenses 2:11 E por isso Deus lhes envia a operação do erro, para que creiam na mentira;
12 para que sejam julgados todos os que não creram na verdade, antes tiveram prazer na injustiça.

Deuteronômio 13:1  Se se levantar no meio de vós profeta, ou sonhador de sonhos, e vos anunciar um sinal ou prodígio,
2 e suceder o sinal ou prodígio de que vos houver falado, e ele disser: Vamos após outros deuses - deuses que nunca conhecestes - e sirvamo-los!
3 não ouvireis as palavras daquele profeta, ou daquele sonhador; porquanto o Eterno vosso Deus vos está provando, para saber se amais o Eterno vosso Deus de todo o vosso coração e de toda a vossa alma.

Deuteronômio 18:9-12 Quando entrares na terra que o Eterno teu Deus te dá, não aprenderás a fazer conforme as abominações daqueles povos.
10 Não se achará no meio de ti quem faça passar pelo fogo o seu filho ou a sua filha, nem adivinhador, nem prognosticador, nem agoureiro, nem feiticeiro,
11 nem encantador, nem quem consulte um espírito adivinhador, nem mágico, nem quem consulte os mortos;
12 pois todo aquele que faz estas coisas é abominável ao Eterno, e é por causa destas abominações que o Eterno teu Deus os lança fora de diante de ti.

Deuteronômio 18:22  Quando o profeta falar em nome do Eterno e tal palavra não se cumprir, nem suceder assim, esta é a palavra que o Senhor não falou; com presunção a falou o profeta; não o temerás.










Tabela de resumo e mais versículos


Gênesis 1:2
Uma queda dos anjos

A grande maioria dos crentes imagina que os anjos teriam sido rebeldes logo no início da criação. A primeira hipótese, a menos conhecida, pode ser encontrada no versículo 2 do primeiro livro do Gênesis: "a teoria do tempo da rebelião". A refutação é simples, o autor não esqueceu de escrever uma ou duas linhas sobre este evento que deveria ser importante, no entanto, o texto simplesmente indica que o planeta passou por uma etapa caótica e desértica, um processo natural que ocorre em outros planetas. O espírito do Eterno cobriu a Terra para sinalizar que ele cuidará dela, trazendo os elementos indispensáveis à vida.

Gênesis 3
A serpente de Gênesis

O símbolo da serpente havia sido explicado em 2014, no último parágrafo do tema da "criação". A serpente não é um anjo mau que possui ou toma a forma de besta do campo, ao contrário, o texto especifica que é um animal esperto que Deus criou. Se Adão representa a raça humana (vários homens), a serpente também representa a raça da serpente, assim, o livro simbólico do Gênesis explica por coincidência divina um fato científico: as pernas deste réptil diminuíram consideravelmente no tempo através da evolução. A anatomia humana mostra que o cérebro está enroscado na cabeça, se raciocinarmos como a serpente, nos abaixamos até o animal e não nos levantamos do pó até o Criador. É possível também que a dor para dar a luz aumentou, é uma das maiores dores naturais das mulheres.

Gênesis 6
Filhos de Deus

Os filhos de Deus são os homens que conheceram e caminharam com o Eterno. A palavra "nefilim" traduzida como "gigantes" são guerreiros parecidos com o homem Golias. Havia outros povos e raças de homens na Terra no início da criação do Gênesis 2, como nos lembra a arqueologia e a paleontologia.

Deuteronômio 32:16-17
Os novos demônios

Nesta passagem, os demônios são deuses, ídolos de madeira e pedra que não vivem (Deuteronômio 28:64). Nós os fizemos.
Eles não são criaturas espirituais com poderes malignos que pensam que são novos deuses, a fim de afastar o homem do Criador.

Juízes 9:23
Um espírito maligno enviado

Esta frase explica que os homens têm tido pensamentos malignos. Não existem criaturas demoníacas perversas que lutem contra o criador e se sintam fortes contra ele. É freqüente que o Eterno peça a Seu exército que seduza os injustos.

1 Samuel 16:14
O envio de um espírito maligno

O Eterno envia espíritos maus; estes não são casos de posses, mas pensamentos maus recebidos por infidelidade. Estes maus pensamentos atormentam o homem e podem torná-lo perverso (1 Samuel 18:10-11). Saul, que era responsável por suas ações, era dominado por pensamentos malignos.

1 Samuel 28:12-15
A invocação dos espíritos

Quantos já invocaram os espíritos dando as mãos em torno de uma mesa? Esta é uma grave transgressão dos mandamentos, Eterno não quer que tomemos conta deste mundo. No texto, podemos ter a impressão de que a mulher está gritando porque ela adivinhou que o rei Saul era seu interlocutor, ela pode ter suspeitado pelo fato de que ele já tinha sido convidado a ver o profeta Samuel. Acredito que seu grito de surpresa está ligado à aparência miraculosa de um deus (uma visão vinda do Eterno) porque na realidade, ela é incapaz de mostrar profetas como Moisés ou Samuel. Ela entendeu que o Eterno estava presente com seu ungido (Saul) e que poderia ter sido uma armadilha, já que o rei havia proibido a prática. Mais uma vez, não é um anjo mau que luta contra Deus que traz uma imagem de Samuel.

1 Crônica 21:1
Satanás se levanta contra Israel e excita o Rei Davi

Satanás vai se opor a Israel e ao rei através da idéia de fazer um censo. Uma raiva (2 Samuel 24:1) emana do Eterno, o povo provavelmente fez algo errado para que o Eterno começasse a se aborrecer e excitar Davi a pensar dessa maneira. Um anjo do mal chamado satanás não é a fonte da tentação, nem o desejo de ser contado. O povo primeiro enfureceu o Eterno que oporá (satanás) a Israel e seu rei, excitando Davi a cometer um erro.

Jó capítulo 1 e 2
Entrevista com satanás

No início deste livro, o terrível e poderoso anjo satanás das religiões caminha silenciosamente antes de se apresentar gentilmente diante do Todo-Poderoso e seus anjos. Como ainda podemos defender uma leitura literal do texto se o malvado satanás causou a destruição do homem e a planeta? E por que seus camaradas demoníacos seriam acorrentados no Tártaro grego (a interpretação de um crente) enquanto ele voa pacificamente nas nuvens? Por que não vê-lo mais logicamente como uma personificação do mal e um ensinamento espiritual para a introdução ao livro de Jó?

Sabendo que os "filhos de Deus" muitas vezes se apresentam para as reuniões, é muito mais simples pensar que satanás é quem duvida da fidelidade de um crente ao se apresentar na assembléia. Será que este bom e grande homem abandonaria o Eterno se ele se tornasse pobre e visse infortúnios recaírem sobre sua família? Este pensamento pode passar através da mente humana; a história reflete as palavras e pensamentos de algumas pessoas. Nossa espiritualidade é imitada por cenas celestiais:
reuniões, canções diante de um trono, guerras no céu.

O mal que desce sobre Jó é a mão do Eterno, lembremo-nos da passagem onde ele permite o mal enviando um espírito (1 Reis 22:20-23). O trabalho entendeu que o mal também pode vir da mão do Eterno para o bem. Satanás não é uma criatura demoníaca específica que tentará o Eterno e realizará milagres destrutivos na vida de Jó, devemos tomar cuidadosamente cada contexto para identificar satanás (o adversário). As desgraças dos dois primeiros capítulos são coisas que o homem pode experimentar em sua vida. Depois de tudo isso, a resposta de Jó é perfeita em comparação com a de sua esposa, que não parece muito religiosa (
J
ó 2:10).

Isaías 14:12-15
A queda de uma estrela

Em vez de ver um anjo demoníaco específico por trás da queda de um grande rei, as metáforas apropriadas a este homem fazem parte do estilo literário dos textos bíblicos hebraicos. Leia o Capítulo II deste tema.

Isaías 24:21
O exército lá de cima, no alto, e os reis da terra, sobre a terra

O exército do alto que será punido não é um bando de pessoas perversas que vivem em algum lugar alto no céu. Ele é as crenças e os deuses liderados pelos falsos sacerdotes de Israel e os gentios, eles estão localizados nas esferas de cima porque cuidam e dominam a espiritualidade do povo e do rei na terra.
O exército do céu é o sol, a lua, os planetas, as estrelas aos olhos do Eterno e do homem (Isaías 47:9, Deuteronômio 4:19, Deuteronômio 17:3, 2 Rei 17:16, 2 Crônicas 33:3-5, Isaías 34:4, Jeremias 33:22, Daniel 8:10). Todas essas coisas também podem se tornar ídolos, falsos deuses.

No nova aliança, a espiritualidade dos crentes fiéis constitui uma exército celestial (Hebreus 12:22, Efésios 2:6) que luta contra o poder espiritual da mentira ! Voltaremos a esta passagem um pouco mais abaixo na tabela. 

Isaías 66:24 (Marcos 9:44-49)
Minhocas que não morrem
e o fogo que não se apaga

O fogo e os vermes representam uma destruição final e constante, sem retorno à vida. Não é sofrimento eterno. Em um lixão, podemos encontrar uma presença permanente de certos elementos, se jogamos em um poço os mortos de uma grande guerra epidemia (guerra, coronavírus, peste...), podemos ver constantemente minhocas ali. Note-se que o texto diz que os justos observam cadáveres, portanto são pessoas mortas, nada se move continuamente por causa de um sofrimento cometido por vermes que se alimentam! O homem não tem nada de imortal nele por natureza, incluindo o messias humano (1 Timóteo 6:16, Mateus 10:28, Lucas 23:46, e Hebreus 5:7). Eterno dá vida ou morte, nós não vivemos para sempre no mundo dos mortos (João 3:15; Jó 24:20). Os vermes são a ignomínia dos ímpios para todos os tempos. O profeta Isaías talvez estivesse pensando nos milhares de assírios consumidos pela morte. Em cada adoração, sábado e lua nova, a memória da vitória sobre os ímpios veio à mente através dos lugares, os nomes dos líderes mortos...

Ezequiel 28: 11-19
O Rei de Tiro

Tiro era tão rica e bela quanto o jardim dos deuses, por que ver ali um arcanjo chamado satanás, o Eterno derruba os grandes que se tornam injustos e se elevam até as estrelas do céu a ponto de se tomarem pelos deuses? Não é o homem (adam) que quis ser "deus" no jardim de Deus, sem ouvir a voz do Eterno?


Zacarias 13:2
Espíritos imundos



Espíritos impuros não são criaturas invisíveis que possuem homens, mas homens com espíritos impuros (feiticeiros, assassinos, pessoas doentes...)..

Lucas 4:33
Um espírito calunioso e impuro

O homem tinha uma doença mental (esquizofrenia...) e já tinha conhecido ou ouvido falar de Jesus (versículo 34). A cura é descrita como a saída de um demônio (versículo 35), esta é a linguagem e a explicação da época. Este ano encontrei uma pessoa que estava danificando carros em um estacionamento de um prédio, ela era conhecida pelos moradores locais que a achavam louca. Quando me aproximei desta pessoa para argumentar com ela, ela gritou comigo e fugiu. Na manhã seguinte, soube que a pessoa havia voltado com um extintor na mão e que havia sido atendida por uma equipe médica.
Uma semana depois, esta pessoa estava sentada num banco no estacionamento e me reconheçou, ela tentou me abordar simpaticamente com uma pergunta que realmente não fazia sentido. Talvez ela estivesse sob medicação. Acho que esse é o tipo de caso que estava no texto, não é uma pessoa possu
ída.
É possível curar doenças psíquicas, talvez o evento relatado seja um resumo de todo o bem que Jesus trouxe através das curas e de sua palavra.
O texto nos diz que a pessoa ia frequentemente à sinagoga, Jesus o curou por um espírito santo, o do Eterno.

Lucas 7:33-34
Acusação falsa


Inquestionavelmente, João Batista não tinha razão para ser chamado de "demônio", mas seu ensino era considerado "loucura demoníaca". A mesma acusação é feita contra Jesus (João 10:20). Temos também o caso de Judas (Lucas 22:3) e Pedro (Marcos 8:33) que se opuseram (satanás) à vontade do Eterno.

Lucas 8:29-33
O demônio do deserto e os porcos afogados.

Como o povo demoníaco não tinha força sobre-humana para destruir verdadeiras correntes de ferro, nós demos um significado simbólico a este versículo no capítulo III de nosso tema. Os porcos estavam presentes em certas terras por causa da presença dos romanos e das nações. É surpreendente que os demônios peçam para entrar nos corpos de animais impuros, enquanto que os crentes os imaginam andando por aí esperando para possuir alguém. É bem possível que esta parte com orrentes de ferro seja também um ensinamento adicional para explicar que o país e os homens estavam na impureza (porco, animal impuro de acordo com a lei). A queda dos demônios nos porcos que caem do penhasco na água representa a purificação dos pecados através do batismo na água (versículo 33). Também não excluo a possibilidade de os porcos literalmente se jogarem do penhasco, sem dizer que tem demônios dentro eles.

Lucas 10:17-18
Satanás caiu do céu

O adversário Satanás cai do céu porque os pecados (demônios) são tirados pela fé no Eterno e em Jesus Cristo (Colossenses 2:14). O sopro sagrado (espírito santo) traz uma recuperação espiritual do Homem, satanás e seus enviados caem da esfera espiritual (Efésios 6:12). O mal que destrói assim perde seu poder, é acorrentado por aqueles que se tornam os filhos de Deus à imagem do filho..

Lucas 39:42
O espírito demoníaco da criança

Uma criança não é possuída por uma criatura demoníaca no início de seu nascimento (Marcos 9:21)! É questão de uma doença.
O menino possui um espírito danificado, é um espírito mudo (Marcos 9:17) aos olhos de seu pai, ele não está possuído por um demônio que quebra correntes e levita.
Os autores do texto falarão de um demônio, mas podemos dizer que ele é um lunático ou epiléptico (Mateus 17:15). Um outra criança deve ter tido o mesmo tipo de problema
(Marcos 7:26-30). Atribuir a apreensão epilética à ação de um demônio era uma abordagem bastante comum no mundo antigo, portanto o evangelho de Mateus seria o mais próximo de nossa realidade. Não esqueçamos que o original certamente está escrito em hebraico ou aramaico antes de aparecer na forma que conhecemos.


Atos 19:13-15

Temos um homem forte semelhante ao homem demoníaco que foi acorrentado no deserto curado por Jesus, o homem tem uma desordem de personalidade como a esquizofrenia. Os judeus querem se destacar como a mulher que teve o espírito mau que adivinha o futuro em Atos 16:16 e fazem um espetáculo com exorcismos, como ainda está acontecendo nas igrejas cristãs. Novamente, o doente provavelmente tinha ouvido falar de Jesus e Paulo, talvez dois anos antes (Atos 19:10-13). O espírito impuro deste homem pergunta aos judeus quem eles são porque não têm autoridade, não têm o comportamento e a palavra de Jesus e Paulo.


1 Coríntios 6:3
Nós vamos julgar os angelos


Não há evidências de que se trata de um julgamento das criaturas caídas do céu. O contexto evoca julgamentos para questões da vida diária (verso 1). Se nesta vida os cristãos já estão indo aos tribunais para serem julgados por descrentes, como eles podem julgar no mundo vindouro? Que vergonha (versículo 5)! Tornamo-nos como os anjos (Lucas 20:34-36), mesmo superiores (Hebreus capítulo 1 e 2 em sua totalidade) em união com o Messias. Em antecipação, os irmãos do Messias são espiritualmente colocados "nas alturas nos lugares celestiais" (Efésios 2:6), acima de outros ministérios, tanto humanos quanto angélicos (1 Pedro 1:12; Hebreus 2:2, Gálatas 3:19). Portanto, o homem unido a Cristo obtém autoridade (Mateus 19:28), capaz de resolver os problemas do mundo que virão entre os anjos. Além disso, você também pode ler meu comentário sobre a mesa para 2 Pedro 2:4, refutamos as várias histórias de anjos caídos. Paulo procurou sublimar a verdadeira identidade da Igreja.

2 Coríntios 4:4
O deus desta época

O deus deste século não está vivo, ele não é um anjo demoníaco. Temos outras personificações, a riqueza com o deus Mamon (Mateus 6:24) e procriação com a deusa Diana (Atos 17:29) a quem o mundo adora. A inteligência dos judeus (a morada dos judeus em Apocalipse 2:9) e dos romanos foi cega pelo deus deste mundo, a mentira que mata as palavras de Cristo e de seus companheiros. Devemos resistir ao diabo (Tiago 4:7, 1 Pedro 5:8, 1 Tessalonicenses 2:15-17), a Bíblia Darby fala da maldade como um só homem: 1 João 5:19 Sabemos que somos de Deus, e que o mundo inteiro está no maligno.


Gálatas 1:8
Um evangelho de um anjo

Ou o Eterno envia Seu anjo para enganar, ou um homem mentirá e nos fará acreditar que se comunicou com um anjo do céu (o Alcorão e o anjo Gabriel ou 1King 13:18). Não há um exército de anjos maus e rebeldes que enganam os homens quando desejam fazê-lo com outro evangelho (Deuteronômio 13:1-3).

Efésios 6:12
Acima nos lugares celestiais

Devemos lutar contra o sistema religioso e as falsas crenças que nos influenciam e manipulam (Efésios 2:6, Efésios 3:10). É assim que a luta é espiritual, ou seja, lá em cima nos lugares celestiais. A palavra grega "epouranios" (acima do céu) se refere às autoridades espirituais, portanto não imaginemos, mais uma vez, criaturas demoníacas no céu. Veja também o comentário sobre Isaías 24:21 nesta tabela.


Hebreus 2:14
derrotar aquele que tinha o poder da morte, o Diablo

Neste versículo, o Messias deve ser de natureza humana (carne e sangue) para derrotar "o diabo". Um Deus ou um anjo que se transforma em um ser humano não poderia realmente sair vitorioso, não seria mais a história bíblica para transformar adão natural em adão vitorioso. O homem Jesus, portanto, tinha que ser, por natureza, um descendente de Adão. A serpente do livro de Gênesis (Gênesis 3:1, Apocalipse 20:2) perderá para o homem realizado que se uniu a Deus, aquele que possui a mente divina (o espírito santo) e a lei em seu coração. O pensamento animal (o diabo/sneira na primeira linha do quadro) nos acusou perante G.od ao escrever em uma ardósia as penas justas (Colossenses 2:14) por uma transgressão da Sagrada Lei. Jesus derrota o diabo, a serpente, a personificação do pensamento maligno, o espírito de erro.

Romanos 6:6 sabendo isto, que o nosso homem velho foi crucificado com ele, para que o corpo do pecado fosse derrotado, a fim de não servirmos mais ao pecado.

1 Pedro 3:18-19
Espíritos na prisão

Ao contrário do que se quer fazer crer, a palavra "espírito" refere-se frequentemente aos homens, a nossa espiritualidade é guardada ou memorizada pelo Eterno para a vida ou morte (Actos 7:59, Lucas 23:46, Lucas 1:47...).  Nesta pequena passagem, Pedro recorda-nos a desobediência do Homem (Génesis 6:3). Enoque e Noé nunca pregaram aos anjos caídos (criaturas celestiais), mas aos homens! Foi numa situação e num espírito semelhantes que Noé anunciou (1Pedro 1:10-11) a vida em Deus antes da destruição. Neste texto, Pedro compara os homens de Génesis com os homens do seu tempo (versículo 21), ele não vai comparar criaturas demoníacas do céu com os homens! A prisão simboliza o morto a nível espiritual que se encaminha para o julgamento (Apocalipse 20 11:15).
O livro de Enoque contém uma fábula judaica que nos impede de compreender o início do capítulo seis do Génesis.

Tito 1:14 não dando ouvidos a fábulas judaicas, nem a mandamentos de homens que se desviam da verdade.


1 Pedro 5:8

Devemos identificar quem é o adversário, o discípulo Judas era um demônio por causa de sua falta de fé e traição (João 6:70). Isto provavelmente se refere aos judeus e romanos em geral que haviam rejeitado por muito tempo a fé de Yeshua, eles vagueavam ao redor dos cristãos como um leão e tinham que ser "firmes na fé" (versículo 9).

2 Pedro 2:4
Os anjos que pecaram

A palavra "anjo" significa "mensageiro", e pode referir-se a um homem ou a um profeta como João ou Jesus (Malaquias 3:1, Mateus 11:10). Estas não são necessariamente criaturas do céu. No início do capítulo, Pedro refere-se aos falsos profetas entre o povo (versículos 1-3), e continuará a falar desses homens até no versículo 11.
Logo é extremamente interessante ler o versículo 11, temos uma distinção entre os mensageiros/anjos do Todo-Poderoso e os mensageiros/anjos humanos no versículo 4! Além disso, devemos ter cuidado com a tradução, a palavra grega traduzida por "abismo" não é um substantivo, mas um verbo ("tartaroo") que poderia ser traduzido
por :"atirado para as profundezas da morte". A analogia é interessante com a terra e a água que engoliu os homens nas profundezas, aqueles que conheciam o Eterno e que se tornaram como "falsos mensageiros/profetas" no momento da inundação. Estamos, portanto, a afastar-nos da mitologia grega e do Tártaro do inferno.

Judas 1:6-9
Os anjos do mal e Moisés

Eles não são criaturas que abandonam sua própria espécie, mas homens que abandonam o poder e a autoridade divina (Lucas 12:11) do Eterno.
Magistrados e sacerdotes deixaram sua morada no templo para Deus por causa de suas transgressões. Eles foram então acorrentados para um julgamento.

O versículo 5 evoca um episódio após a saída do Egito, faltam-nos detalhes sobre o que aconteceu com o bezerro de ouro ou talvez depois no deserto. Há uma comparação com uma história mais antiga, a de Sodoma e Gomorra (Deuteronômio 29:21-23).Depois de deixar o Egito, ainda era impossível fazer sexo com criaturas do céu, mesmo que os humanos às vezes desejem criaturas que não sejam compatíveis com seu gênero
(Levítico 18:22-23).
Nenhuma lei é mencionada por ter sexo com criaturas do céu, porque é impossível.
Nem são os anjos que estavam com Abraão criaturas do céu (Gênesis 18). Finalmente, no versículo 9 do livro de Judas, o diabo reivindica o corpo de Moisés. É possível que um grupo (diabo)
estivesse reclamando seu corpo (Deuteronômio 34:6, Êxodo 22:28) acusando-o ou por algum outro motivo.

Apocalipse
A guerra contra Miguel

Miguel é uma representação angélica do "povo de Deus" no céu, este anjo tem um nome que significa: "quem é como Deus? Sabemos que o Messias e a casa de Davi são como Deus (Zacarias 12:8), portanto, esta é a batalha entre aqueles que são como Deus e Satanás, o falso sistema religioso e seus governantes.


Conclusão : Nós acreditamos no adversario, o satanás, mas nossa definição é bem diférente da crença popular de uma criatura celéste pessoal que se rebelou contra o Criador nos dias de antigamente.




Obrigado por respeitar o trabalho realizado, compartilhando o link deste site.

1 "Evangile selon Iehohanan"
(Evangelio segundo Iehohanan) por Claude Tresmontant, nota no versículo João 17:5, 1994.

2 "The real devil, A Biblical Exploration" (O Diabo Real, uma exploração biblica) by Duncan Heaster, livro Cristadelfino, 2009


3  "Et si la maladie n'était pas un hasard" (E se a doença não seria uma coinscidência) por o neurologue Dr Pierre Jean Thomas-Lamotte; 2008.



https://www.desertpath.net

Kevin FOUQUERE

também chamado Hans

Julho 2020