CRIAÇÕES

Esquema espiritual

 

O gênero humano

 

Evolução dos homens

 

Um só Eterno

 

Tabela da criação

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

Esquema espiritual

Antes de construir um canteiro de obras ou desenhar numa folha de papel, o homem utiliza sua inteligência e sua sabedoria para definir um plano de construção que podemos chamar o "Esquema espiritual". O método de criação usada pelo Eterno para criar os céus e a Terra é semelhante ao do homem que foi feito a sua imagem. Pegamos o exemplo da fabricação de uma casa.

Provérbios 3:19  O Senhor pela sabedoria fundou a terra; pelo entendimento estabeleceu o céu.

Provébios 24:3  Com a sabedoria se edifica a casa, e com o entendimento ela se estabelece;

 

No nosso esquema espiritual, as idéias abstratas são inventadas, tudo que existe na nossa mente deve se formar numa realidade, como um pintor que deseja fazer viver seu desenho na sua tela. Eterno utiliza a energia e a matéria a fim de organizar as coisas e dar vida, nós sabemos que o sistema solar tem suas regras universais constantes para manter a vida sobre a Terra. Nosso planeta azul e o corpo humano são tão bem organizados que temos dificuldades de imaginar que isso poderia ser obra do acaso, podemos afirmar que uma casa abriga vida é o resultado de probabilidade ou estatística? A observação do nosso meio ambiente geralmente nos revela a presença do Criador, vejam as coisas atualmente fabricadas ao seu redor (cadeira, guarda-roupa, paredes... ) e as coisas do lado de fora ( as abelhas fazem o mel, pássaros fazem ninhos... ). É preciso de inteligência, sabedoria, o esforço de um homem para construir o enquadramento, telhados, a eletricidade de uma casa. É mais fácil acreditar que a Terra dos homens e animais existe por acaso? Felizmente, muitas pessoas, mesmos alguns cientistas, ainda crêem num Criador.

 

Não estávamos presentes no dia da criação, nós não vimos com nossos próprios olhos o começo dos ciclos da natureza (as estações, o ciclo da água, as árvores, as gramas...), mas temos uma boa razão de pensar que mesmo os ciclos da natureza são criados. Há também coisas programadas no corpo, tais como as células biológicas são como as máquinas que trabalham continuamente durante um certo tempo no corpo humano. Se fosse possível de renovar constantemente as nossas células, a morte do corpo perderia seu poder. A bíblia nos anuncia um criador desde a primeira linha, conhecemos cientificamente sobre a origem da vida na Terra e é interessante de ler uma ordem um pouco semelhante no livro de Gênesis, escrito já há mais de 2000 anos:

Criação dos céus e da terra < gestão do planeta de água (a ciência o chama de planeta azul) para suportar a vida < aparição da Luz na Terra pela vida < formação do atmosfera e ciclo da água < produção dos vegetais < *designação das luzes < criação dos animais pela água < formação dos animais pela terra < criação do humano e formação do homem atual.

 

* designação das luzes : Se você lesse o primero capítulo, as luzes parecem ser fomadas no quarto dia, mas no versículo 1 de Gênesis nos diz que os céus já são criados. O texto queria nos contar que as luzes não tinham suas respectivas funções de iluminar e marcar as estações no começo porque a terra estava coberto com as nuvens pesadas e gases. Ainda mais, ela deveria se posicionar na orbita corretamente para receber a luz de uma maneira constante e uniforme. Ocorreu reviravolta atacado na Terra (formação do núcleo, crosta, vulcões, terremotos...) e as luzes foram designadas para servir o planeta (Salmos 104:19, Salmos 8:3). A bíblia não conta que as estrelas ou o sol foram criados depois da terra (Jó 38:7). A palavra hebraica "asah" não significa somente "fazer" (versiculo 16), mas também "designar, apropriar, realizar", na maneira de uma finalização de uma obra. Isso é evidente quando nós compreendemos que os céus foram criadas no versiculo 1.

 

A palavra Gênesis significa “princípio” e o primero versículo da Bíblia explica que o Eterno criou primeiramente os céus e a terra numa época indeterminada. Logo, aprendemos que nesta terra foi coberta de água e a criação de seis dias começou a partir deste momento. Não são dias literais de 24 horas mas seis fases de construção. Sabemos que o período de tempo é percebido de maneira diferente, dependendo das criaturas, uma borboleta vai viver alguns dias enquanto o homem vive muitos anos, o Eterno não tem mais a mesma noção de tempo. A palavra “dia” vem do “Yom” em hebraico e também é designado "um período de tempo ou uma época". A criação poderia ter tido milhões de anos, o escritor não o sabe reamentê e o texto não procura fundar uma datação. Existem outros textos antes daquele de Gênesis, mas estamos longe da inspiração do Eterno que nos traz sempre mais perto da verdade dentro de uma evolução espiritual da humanidade. O livro de Gênesis é uma melhor compreensão do mundo.

Salmos 90:4 Porque mil anos aos teus olhos são como o dia de ontem que passou, e como uma vigília da noite. (2 Pedro 3:8)

Hebreus 11:3 Pela fé entendemos que os mundos foram criados pela palavra de Deus; de modo que o visível não foi feito daquilo que se vê. (Genèse 1:1)

 

Caros leitores, o “como” da nossa existência é explicada pela Bíblia e ainda melhor pela ciência através de seus detalhes, mas é apenas a metade do trabalho para entender a nossa criação!

Não queremos saber o “por quê” da criação? O plano de uma pessoa também possui um objetivo, o acaso ainda não tem o seu lugar na criação se aceitamos que realmente existe um projeto. A boa notícia é que há um desejo, uma vontade, um impulso de amor para criar algo e alguém. O Eterno considera o homem como o princípio da sua criação, ou seja, que tudo é criado por meio de quem tem que viver na Terra, assim como um chefe de obras que constrói edifícios para as pessoas. No seu esquema espiritual, Eterno possui com ele uma imagem, aquele do humano à sua semelhança, cheio de sabedoria e de inteligência, como um filho que representa a sua glória sobre a terra. Os evangelhos nos esclarece sobre aparição desta imagem que sera chamado de "messias" (Cristo/ungido/amado). O filho será o adão realizado, a palavra do Eterno, a razão do início e o fim da criação (a recapitulação o alfa e o ômega, a letra A e Z do alfabeto, o Alef e o Tav).

Mateus 5:9 Bem-aventurados os pacificadores, porque eles serão chamados filhos de Deus.

 

 

 

 

 








 

 

 

 

 

 

 

O gênero humano (adão)

Geralmente, as religiões ensinam que o Criador fez um só casa humano que seria a origem de todas as raças dos homens na Terra. Ao contrário da crença popular, a bíblia não nos ensina, necessariamente que o Eterno criou um só homem macho ou um só casal humano. Se nós cremos que várias plantas e animais apareceram na Terra, por que pensar que o Eterno formou apenas um só casal de humanos? Por exemplo, o Eterno não criou uma só cobra que vivia no jardim do Éden, esta não é a único cobra que viu a diminuição de seus membros para se arrastar no chão. Ele representa o animal no campo em geral (Gênesis 3:1) e o raciocínio do animal no homem. Se a cobra e o homem do Éden representam uma espécie em geral, todos os homens são também confrontados com o conhecimento do bem e do mal atravéz deste adão no jardim espiritual, a prova que toda espécie de cobra perdeu suas patas. Os especialistas em réptios explicam que a raça de cobra se arrasta no solo durante a evolução, exatamente como diz em Gênesis. É por esta razão que a palavra hebraica “adão” apareceu pela primeira vez na criação de Gênesis 1:26 não se refere a um homem com o nome “Adão” com um “A” maiúsculo, como se fosse um único indivíduo “adão” significa na maioria das vezes “o gênero humano, humanidade, homens”. Nós temos uma prova desta definição nos versículos da bíblia, homem e mulher são dois seres que possuem o mesmo nome: adão.

Gênesis 5:2 Homem e mulher os criou; e os abençoou, e os chamou pelo nome de homem (adão), no dia em que foram criados.

 

Em Gênesis 1:26, o Criador cria o gênero humano e nós não temos nenhuma indicação da quantidade de machos e fêmeas no versículo 27. A palavra “adão” vem da raça “adama” que quer dizer “vermelho, terra” e por esta razão que o humano vem dos elementos da terra e da mesma forma que os animais. Nós temos as semelhanças com o animal e quando morremos voltamos ao pó. As capacidades do nosso espirito nos levantaram acima do animal e nos tornaremos filhos do Altissimo na pratica do bem.

Gênesis 1:27 Criou, pois, Deus o homem à sua imagem; à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou.

 

O nome “Adão” pode se referir a um ancestral de Israel que faz parte do gênero humano (adão). Portanto, lemos a palavra “adão” no começo de Gênesis, nós não devemos nos confundir que este ancestral da linha do povo de Israel (Adão) E o gênero humano (adão). No texto original hebraico, não temos os pontos, virgulas, letras maiúsculas e devemos escolher entre “Adão” e “adão” nas traduções afim de não mais interpretar e contradizer os fatos reais demonstrados pela ciência.

Gênesis 5:1 Este é o livro das gerações de Adão. No dia em que Deus criou o Adão, à semelhança de Deus o fez.

Gênesis 5:2 Homem e mulher os criou; e os abençoou, e os chamou pelo nome de Adão, no dia em que foram criados.

 

Na leitura acima, nós colocamos as letras maiúsculas em tudo e temos a impressão que os versículos não falam de um só homem nomeado “Adão”. Portanto, se nós retiramos os maiúsculos e substituimos pela palavra “adão” pelo “Homem”, nós entendemos diferentemente o texto. “Adão” então seria descendente de um povo entre a humanidade “adão”. Assim está o que lemos em outras bíblias:

Gênesis 5:1 Este é o livro das gerações de Adão. No dia em que Deus criou o homem (adão), à semelhança de Deus o fez.

Gênesis 5:2 Homem e mulher os criou; e os abençoou, e os chamou pelo nome de homen (adão), no dia em que foram criados.

 

Encontramos esta idéia na criação de Gênesis 2:4. O texto vincula dois eventos que nos fazem a progredir em nossa leitura da história bíblica. Adão faz parte da raça humana e a Bíblia falará de sua genealogia (Gênesis 4:26), é através dele que vem o conhecimento do Eterno, o ancestral "de Israel" é colocado no jardim do Eden para que ele conheça a lei, a torá. A tradição escolhe este homem como Abraão ou os profetas (Isaías 41:8; Jeremias 1:5). A eleição não é uma marca de superioridade, mas uma graça, o método utilizado para difundir a informação do Criador entre os homens. Um cientista excepcional revoluciona a ciência através de sua descoberta e leva outros cientistas com ele. É também através do homem da Mesopotâmia e da revelação da Bíblia que a ciência do Eterno se espalhará para os outros. Este homem colocado no Jardim do Éden representa a raça humana que está se abrindo à lei espiritual do Criador. O povo hebreu (para não confundir com a religião do judaísmo rabínico atual) é o pivô para a transmissão do conhecimento do Eterno às nações, mas são homens como todo mundo, podem ter sido bárbaros e idólatras como outras nações, se considerarmos os textos da Bíblia.

 

A história simbólica do capítulo 2 e 3 de Gênesis não é uma velha história passada, ela ainda está na atualidade, as parábolas revelam um ensinamento universal. Mesmo se não somos necessariamente da genealogia biológica de Adão, ancestral de Israel, nós nos identificamos nele como primeiro homem que se abre ao conhecimento de Deus. Nós utilizamos esta mesma comparação com Yeshwa (Jesus) quem não é o último homem que existe na terra, mas o último homem de Israel que abre uma nova era para qualquer um que se identifica nele (2 corinthians 5:17 ; Apocalipse 21:5).

 

Lembramos da história de Caim em Gênesis 4, ele matou seu irmão por ciúmes e foi expulso para fora do seu território pelo Eterno. Por que ele estava com medo de ser morto? Ele estava na obrigação de fazer o incesto com a irmã dele como ensina a tradição? Adão e Eva tiveram muitas crianças antes do nacimento de Sete ? (Gênesis 5:4)

Gênesis 4:14  Eis que hoje me lanças da face da terra; também da tua presença ficarei escondido; serei fugitivo e vagabundo na terra; e qualquer que me encontrar matar-me-á.

Gênesis 4:15  O Senhor, porém, lhe disse: Portanto quem matar a Caim, sete vezes sobre ele cairá a vingança. E pôs o Senhor um sinal em Caim, para que não o ferisse quem quer que o encontrasse.

Gênesis 4:16  Então saiu Caim da presença do Senhor, e habitou na terra de Node, ao oriente do Éden.

 

Há um espaço de tempo entre o homem criado do capítulo 1 que deveria se multiplicar e o homem cultivador em Mesopotamia no capítulo 2, compare as duas citações. Outros homens existiam fora do território. Terminamos dando uma explicação aos versiculos a frente para aqueles que querem apoiar a idéia que não existe vários homens. Cada um é livre para tirar suas próprias conclusões:

- Eva mãe dos seres vivos:

Gênesis 3:20 nós dizemos que Eva é a mãe de todos os seres vivos. Eva significa propriamente “dá vida”, então podemos pensar que a mulher (“isha” em hebraico”) dá vida (Eva) para o Homem (adão). Cientificamente, podemos ver que “Eva mitocondrial” ou o lado feminino da biosfera desde a criação.

 

- O dilúvio: Os membros da família de Noé não são os ancestrais de todos os homens do planeta. Por favor leia a tabela no final da página, na parte "simbolismo"

 

- Romanos 5:12-19

Romanos 5:12 Portanto, assim como por um só homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado a morte, assim também a morte passou a todos os homens, porquanto todos pecaram.

Romanos 5:13  Porque antes da lei já estava o pecado no mundo, mas onde não há lei (A) o pecado não é levado em conta.

Romanos 5:14  No entanto a morte reinou desde Adão até Moisés, mesmo sobre aqueles que não pecaram à semelhança da transgressão de Adão (B) o qual é figura daquele que havia de vir…

Paulo diz que os homens morrem porque "todos pecaram". Entretanto, antes de entrar no jardim espiritual do Éden, os homens eram sem lei, ignorantes, por causa da falta de espiritualidade (A).
O pecado, portanto, não foi imputado. O conhecimento e a lei vieram dos hebreus através de um ancestral chamado "Adão", ele evoluiu espiritualmente para compreender a existência do Eterno, sua moral, o significado da criação, a lei do bem e do mal. Outros homens que não tinham recebido a lei não foram imputados com pecados, mas foram despertados para ela através do Adão de Israel. É neste sentido que o ancestral de Israel "Adão" é o portador da raça humana ao manifestar o conhecimento do bem e do mal que também se desenvolve em outros.
Observemos também que outros homens não pecam da mesma forma que Adão (B), portanto não houve transmissão genética de um salário de um erro entre pai e filho, é um conhecimento do pecado que se espalhou a todos os homens quando são confrontados com o bem, com a santa lei de Deus que nos separa do homem animal ou natural.
Nos versículos que seguem esta passagem, será escrito que todos os homens, mais precisamente muitos homens, pecaram por causa do adão. Assim, muitos serão justificados pela adoção do espírito de Cristo (Messias). Da mesma maneira que Adão, Jesus é o judeu que desperta outros para a ressurreição. As crianças não são culpadas e não morrem por culpa dos pais
(Ezequiel 18:20).


- Atos 17:26 :

Atos 17:26 e de um (sangue) só fez todas as raças dos homens, para habitarem sobre toda a face da terra, determinando-lhes os tempos já dantes ordenados e os limites da sua habitação;

A palavra "sangue" não aparece nos manuscritos gregos (Bíblia Douay Rheims, Vulgata, Wescott e Hort... etc.) e "um-só" não está necessariamente relacionado ao sangue. Paulo falou aos filósofos em Atenas sobre o sopro de vida que o Criador deu a todos os homens, e não havia uma raça superior de homens feita por deuses. O versículo 27 reforça a idéia de que o espírito de Yeshwa (Jesus) ou o espírito do Eterno está disponível para todos os homens que buscam o Criador em Seu jardim espiritual desde a criação. Portanto, este versículo não prova que o sangue de um homem chamado Adão é a origem de todas as raças. A Bíblia de Jerusalém traduz este versículo de maneira diferente:

"Se por um princípio ele fez toda a humanidade habitar sobre a face da terra; se estabeleceu tempos e limites fixos para a habitação dos homens".

 

- 1 Coríntios 15:45 :

1 Coríntios 15:45  Pois assim está escrito: O primeiro homem, Adão, foi feito alma vivente. O último Adão, porém é espírito vivificante.

A leitura comporta algumas mudanças em relação a leitura de Gênesis 2:7. Não entendemos que o personagem Adão é o primeiro homem a existir na Terra e que Jesus Adão seria o último homem a existir no planeta. Paulo fala da evolução da nossa raça entre Adão e Jesus. Jesus pega o mesmo nome que o homem "Adão" de Gênesis de uma maneira figurativa (Romanos 5:14) porque ele é o prototipo da nova criação. Se João Batista é o Elias esperado, Jesus é o Adão esperado de Deus sendo um espirito que da vida pela palavra do Criador viva nele. O texto é em grego.



















Evolução dos homens

A situação do mundo atual está longe de ser um paraíso e nós ouvimos de algumas pessoas dizendo que o Criador não pode ser perfeito porque o homem criado à Sua imagem não o é. Portanto, Gênesis ensina que todas as coisas que foram realizadas estavam “muito boas”, o que isto significa? Se a criação do primeiro capítulo de Gênesis é um começo, é que há uma continuidade da história para alcançar um objetivo final. Os seis dias da criação são muito bons, porque eles estão inacabados, o que quer dizer que a criação irá crescer livremente e em seu ritmo durante um período indeterminado. Temos o exemplo do homem crescerá sendo cultivado no jardim espiritual de Éden do capítulo 2 de Gênesis afim de aprender a moral do Eterno, aquele do bem e do mal. A maneira que fomos criados é muito boa porque nós somos livres.  Nós criamos nosso universo sobre a Terra, à maneira do Eterno, como criou os céus e a Terra (Gênesis 1).

Gênesis 1:31 E viu Deus tudo quanto fizera, e eis que era muito bom. E foi a tarde e a manhã, o dia sexto.


Deteronômios 30:15 Consider that I have set before thee this day life and good, and on the other hand death and evil:

 

O homem é feito dos elementos da terra, como os animais, nos voltaremos do pó. Ele chega por último na ordem de aparecimento das espécies, a ciência e Gênesis estão de acordo neste ponto. Se “o homem pó” é moldado da terra graças ao Eterno graça o oleiro (Gênesis 2:7, Isaías 29:16), podemos supor que todas as criaturas tirada do solo têm em comum com a gente. Os primeiros vegetais e os animais nos semelham de uma certa forma, porque somos do mesmo princípio de vida, ele deu dois olhos para ver, um nariz para respirar, a boca para comer, um cérebro para ativar nosso esqueleto e pêlos que crescem no corpo como os vegetais que crescem no solo. Somos criaturas que possuem um espírito que varia de acordo com a capacidade de nosso cérebro. Nós devemos cuidar dos animais e da natureza que estão ligados a nós na Terra. O homem possui a segunda imagem que o distingue do resto da criação, ele é a semelhança do Criador (Gênesis 1:26).

 

O apóstolo israelense Paulo e o livro de Gênesis nos lembram que se formam corpos diferentes; lemos, por exemplo, que as águas estão repletas de seres vivos (1 Coríntios 15:36-45; Gênesis 1:20). Tudo é informação, Eterno permite o desenvolvimento de uma multidão de DNA e sementes que crescerão e formarão a espécie, um programa teve que manifestar a raça humana.
Trabalho, vida, morte, reprodução são etapas de uma evolução, nós preservamos o processo através da reprodução. O nascimento de um novo corpo sai de nós, de certa forma, continuamos a existir criando nossa própria semente, o macho e a fêmea espalham seus genes para produzir uma criança, eles se tornam um novo zigoto que carrega as características dos pais. A Bíblia fala de evolução, a mensagem dos evangelhos anuncia a cobertura de um novo corpo glorioso através da ressurreição, isto para o mundo que está por vir. O homem está agora consciente e livre para escolher se quer viver e ser transformado pela palavra do Eterno, que é uma seleção divina trabalhando na seleção natural. O israelita Yeshua passa pelo caminho do deserto e o caminho para finalmente tornar-se um espírito vivificador guardado pelo Eterno
(Corintianos 15:45). Estamos esperando evoluir na criação de Deus, como a lagarta que se torna uma maravilhosa borboleta com as cores do arco-íris que voa para o céu?

 

Se o Adão terrestre, a primeira raça humana, espalhou a vida biologica e o conhecimento do Eterno, a segunda raça humana que é celestial, por Jesus, espalha a vida eterna e espiritual (1 Coríntios 15:47).  A palavra "celestial" não significa que o homem começa a voar no céu e que não terá corpo, mas que é vivificado pelas qualidades espirituais do Eterno (Gálatas 5:22). Acreditar em Yeshua não significa adorá-lo como deus criador, mas significa acreditar em suas idéias, palavras e ações. O Eterno se faz conhecido perfeitamente através dele.

João 11:25 Jesus said to her: I am the resurrection and the life: he that believeth in me, although he be dead, shall live:

João 14:20 Naquele dia conhecereis que estou em meu Pai, e vós em mim, e eu em vós.

 

Agora vejamos o comportamento e as ações dos homens na Bíblia, este assunto é freqüentemente motivo de incompreensão para os leitores que imaginam que o Eterno se comunicava com homens perfeitos em um mundo perfeito. Ao contrário desta crença popular, a palavra do Eterno é frequentemente proclamada para os injustos (1 Timóteo 1:9) e temos visto que o homem precisa crescer espiritualmente enquanto permanece livre no mundo. O homem primeiro bebe o leite como um bebê antes de começar a comer alimentos mais sólidos (Hebreus 5:12-14), o homem animal ou o homem primitivo também pratica incesto, politeísmo, poligamia, guerras, adoração de estátuas ou dinheiro. Hoje, geralmente "evoluímos" em vários campos, mas o comportamento bárbaro às vezes retorna muito rapidamente ao galope (guerras mundiais, adultério, idolatria, "sacrifícios de animais" em cadeias para o estômago em matadouros...). Portanto, é necessário aceitar as circunstâncias imperfeitas em que o Eterno reagiu na Bíblia, vamos tentar explicar alguns pontos difíceis, o Eterno às vezes "autoriza" nossas escolhas para que possamos aprender com elas:

 

- Uma monarquia: As nações inventaram uma monarquia e Israel a adotou também. Os textos revelam que o Eterno não gostaria obrigatoriamente (1 Samuel 8:4-7). Eterno “autorizou” essa escolha.

Ao querer ser como as outras nações, Israel muda a sua história e faz com que o homem realizado (Jesus) seja o “messias e rei” no plano do Eterno.


- Uma casa para o Eterno: Construção de uma casa para o Criador dos céus e da Terra é “autorizado” esta escolha que não era mais obrigatória (1 Samuel 7:2-13; Atos 7:48).

Eterno deixa mais uma vez o homem realizar seus desejos, ele não o condena tanto que não faça o mal.


- A poligamia e o divorcio: No começo, o homem e a mulher formam uma só carne (Marcos 10:2-9).

Paixões e guerras levaram à poligamia, uma prática imperfeita que não foi sancionada pela lei de Moisés.


- Sexualidade animal: Incesto, homossexualidade, zoofilia não se enquadram na lógica da criação e a lei de Moisés proíbe estas práticas (Levítico 18:6-23). Algumas partes do corpo não são adequadas para as relações sexuais. A consanguinidade também é ruim de acordo com a lei de Moisés e a ciência.


- Escravidão: Os escravos bíblicos não têm nada a ver com racismo, mas depois das guerras havia inimigos e algumas pessoas poderiam querer se revoltar. Durante o reinado de alguns reis, os inimigos estavam ligados a trabalhos específicos. Os escravos também não devem ser confundidos com servos, pessoas que "pertenciam" àquele que tinha muita riqueza.
Em nossa sociedade, a situação também não é a ideal, não somos nós também escravos? Em alguns países, isto é grave, afetando até mesmo crianças.

- Condenação severa: Os leitores ficam frequentemente chocados com as condenações da lei (lapidação, decapitação...). Eterno e Moisés quiseram dar um vislumbre do reino diretamente no local, mostrando assim o nível espiritual que devemos alcançar para viver em paz com o criador e a criação. As sanções foram aplicadas diretamente.


- Circuncisão (e a excisão): A circuncisão pelas nações foi um assunto delicado entre os discipulos israelenses de Yeshwa em Atos 15:2 contra outros judeus. Hoje, alguns judeus são contra a circuncisão. O Eterno criou o homem para lhe causar dor e tirar-lhe uma parte natural de sua carne? É interessante ler que o Eterno queria matar Moisés porque ele não tinha realizado a circuncisão em seu próprio filho (Êxodo 4), incrível. Sem dúvida Moisés deve ter representado a lei e lembrar a incircuncisão no coração do homem, mas no fundo, talvez ele tivesse compreendido o que o apóstolo Paulo ensinaria mais tarde sobre a circuncisão (1 Coríntios 7:19)? Abraão representa o justo circuncidado e incircunciso (Romanos 4:11-13) e esta marca provavelmente vem do Egito, falarei disto um dia em um tópico referente à lei. A excisão é pior e devemos ensinar o cancelamento desta perigosa prática tradicional que ainda existe entre algumas pessoas!


- Sacrifícios: O eterno não precisa de sacrifícios. A história de Abraão traz um ensinamento espiritual, o criador não quer sacrifícios humanos à maneira dos costumes de outros povos e de seus deuses. Eternal vê se o homem o obedece, mas ainda mostra que o sacrifício humano não é agradável para ele. Um verdadeiro "sacrifício" vem de alguém que verdadeiramente dá sua vida por sua integridade ao Eterno e seu amor por seus amigos (Hebreus 10 / Salmos 40:6-8).

 

 

 

 

 

 

 

 







 

 

 

 

Um só Eterno

Constatamos que dutante os dias da criação, todos os verbos conjugados estão no singular, exceto o versículo 26, que mostra que no começo o Eterno é o único a criar. No entanto, a maioria dos cristãos pensam que um Deus em três pessoas ou os anjos- deuses criaram o universo. A trindade das igrejas protestantes e as testemunhas de Jéova acreditam que um ser chamado “Jesus” existe no céu como criador ou co-criador com o Eterno. Essas interpretações se baseiam numa pequena quantidade de versículos, nós discutiremos a indentidade do homem israelense Yeshwa (Jesus), no próximo tema da nossa págima inicial. Então, como explicar este versículo 26? "E disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança"

 

Devemos absolutamente perceber que nenhum ato de criação anterior daquela do homem esta no plural, as criaturas não são a imagem do Eterno, nem criados por vários seres. O versículo 26 é particular porque ele representa uma intenção para fazer o homem com a imagem do seu criador, sem rejeitar o fato de que ele também é criado à semelhança da criação anterior (animal).  O fato que o homem é a imagem do Eterno se destacara do resto da criação, seu espirito tende a ser do criador. Então, o homem tem uma semelhança com a criação e ao Criador: 

 

* A imagem da criação: O homem é muitas vezes comparado a uma árvore, mas ele possui acima de tudo as semelhanças físicas e comportamentais com o animal. Nós somos dominadores como o leão, sábio como uma serpente, protetor como o gorila. Não deixamos de enfatizar as idéias espirituais ou visões de anjos com rosto humano ou animal. Além disso, a bíblia explica o homem que não ouve o Eterno é comparado como um animal, o livro do Apocalipse diz que o número da besta é uma série de homem (Ezequiel 10:14, Habacuque 1:14; Apocalipse 13:17-18).

 

* A imagem do Criador: A mulher e o homem possuem caracterícticas espirituais do criador que dominam os animais. Nós temos a capacidade de pensar sobre a nossa origem e pode projetar-nos para o futuro como YHWH. A semelhança com o Eterno não é física, mas espiritual (João 4:24), no seu esquema espiritual, o homem é aquele que fez todas as qualidades divinas. O homem final representa sua palavra, que é o nascimento de um filho glorioso nascido incorruptível de toda a criação ou criaturas corruptíveis (1 Colossenses 1:15). Todo reino é criado neste homem, imagem ideal, por amor dele e por ele.

 

Eterno considera as coisas que devem vir como se elas existissem diante de seus olhos, mesmo que isso ainda não existe na Terra. Por exemplo, Abraão foi o pai de muitas nações antes mesmo desta multidão existir (Gênesis 17:5), Jeremias foi chamado de profeta antes de nascer (Jeremias 1:5) e o homem realizado ( o espirito do Eterno no homem que sera Jesus) estava no esquema espiritual do Eterno, bem que este tipo de homem ainda não existia. O versículo 26 é uma intensão de trabalhar o homem para ser a imagem dele, como um filho (humano) e isso é um projeto que leva tempo. (Efésios 1:4).

Romanos 4:17  (como está escrito: Por pai de muitas nações te constituí) perante aquele no qual creu, a saber, Deus, que vivifica os mortos, e chama as coisas que não são, como se já fossem.

 

Algumas pessoas pensam que o Eterno fala com criaturas angélicas para explicar este plural, é possível, mas nossos argumentos acima não nos permitem fazer uma afirmação. Será que os anjos começarão de repente a criar o homem com o Criador? Anjos são criadores ou mensageiros (chamas de fogo)? Eles aparecem num momento desejado do Eterno para representar realidades espirituais ou para transmitir a mensagem divina. O criador mostra modéstia e compartilhamento usando o plural no versículo 26. O versículo 27 nos lembra que ele é o único a criar:

Gênesis 1:27 Criou, pois, Deus o homem à sua imagem; à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou.

 

Os nomes "Elohim" (Deus), "YHWH" (Ele É) e os nomes dos homens na Bíblia nos ajudam a entender a partilha de uma unidade divina entre a criação. Os homens freqüentemente levam parte do nome divino, mas Deus (Elohim) é um Eterno (YHWH), como esta escrito em Deuteronômio 6:4. YHWH significa "Eu serei o que serei" ou "Eu sou quem sou" e Elohim" significa "O Poderoso nos poderosos / Juízes".
Para saber se Elohim (o nome dado aos deuses pagãos ou aos homens em Gênesis 3:5) representa várias pessoas, devemos, portanto, olhar para o verbo que segue este nome. Quando se trata de YHWH, Elohim sempre tem o significado de "O Deus (EU SOU) quem está neles". Na criação, portanto, existe apenas um ser, Deus. Por outro lado, o plural indica a partilha com a criação de quem é Unico.
Eterno salva o homem através do homem que está unido a ele, um descendente de Adão unido ao Eterno (Romanos 5:14, 1, 3).

 

    - Gênesis 3:22 Então disse o Senhor Deus: "Eis que o homem se tem tornado como um de nós, conhecendo o bem e o mal. Ora, não suceda que estenda a sua mão…"

Este versículo é uma prova da intensão para fazer do homem a imagem do Eterno em Gênesis 1:26. A palavra  hebraica traduzida por “de nós” pode também ser lido “dele”, nós passamos para a terceira pessoa do singular. Isso se torna possivél quando nos referimos ao assunto principal desta história que permite o homem a abrir os olhos: O homem se tornou como ele, a árvore e as frutas. O judeu Rashi¹ explica este versículo da seguinte forma: “Eis que o homem se tornou como um de sua espécie”. Nós carregamos o fruto daquela árvore e somos diferente dos outras criaturas. A chegada de um anjo nos faz entender que o homem não podia comer do fruto da vida, porque ele devera aprender o bem e sair vitorioso do pecado. Devemos entender à essa história simbolicamente  (Salmos 87:2, Mateus 13:34...).

 

    - Gênesis 11:5-7 "vamos e confundimos"

Neste versículo, os homens não procuravam somente a se multiplicar o território, eles queriam se unir e subir ao céu para construir a torre de Babel. Faraós, reis, presidentes queriam se glorificar mostrando seu poder, mas se esqueceram que o poder do Eterno está na simplicidade do coração. Eterno diz: “vamos e confundimos”. 

Nós sabemos que ele não precisaria descer literalmente para ver o que acontece, isto é um antropomorfismo como explica a biblia anotada em francês².

Veja também Salmos 33:13-22 (versículo 15); Isaias 6:8; 1 Reis 22:20-22. Eu acho que o Eterno coloca seu espírito sobre as pessoas que estão com Ele a fim de defender suas idéias na Terra, esta é a causa das divisões entre a vontade do Eterno e da vontade do homem (Mateus 25:32-33). Os pensamentos do Eterno vieram do céu para os homens (Tiago 1:17). 

 

 

 

 

 

 






 

 

 

 

 

 

Tabela da criação

Introdução

Sabemos que vários textos antigos sobre cosmologia existem antes e depois da Bíblia, podemos encontrar certas semelhanças entre eles e isto não é de forma alguma pejorativa para o livro de Gênesis. Não tentemos enfrentar esses relatos pensando que um é verdadeiro em relação aos outros, que uma copia sobre a outra, seria recusar-se a compreender a evolução espiritual do homem em sua maneira de explicar sua origem. É verdade que, de fato, a narrativa bíblica difere de outros textos porque está muito próxima da realidade, deixando de lado uma cosmoligia de deuses pagãos que não fazem sentido com o que realmente aconteceu (batalha dos deuses...), mas ainda podemos levar em consideração a tentativa desses homens de refletir sobre sua origem. Através dos textos antigos que eles nos legaram, podemos estabelecer relações com o texto da Bíblia, podemos encontrar símbolos e uma ordem mais ou menos precisa para contar a história da criação.
Na ciência, também melhoramos nossa compreensão do universo em etapas sucessivas ao longo do tempo, até encontrarmos a verdade, então por que não deveria ser o mesmo princípio espiritualmente em nossos escritos e em nossa relação com o criador? Ainda assim, é notável ler grandes verdades nesta cosmologia perene da Bíblia!
E não é por acaso que Gênesis capítulo 1 usa apenas o nome "Elohim", traduzido como "Deus" em nossas traduções. O homem não discerniu muito bem seu criador; ele primeiro se manifesta sob o nome de "Elohim", o deus que se manifesta na criação. Como vimos, este nome pode estar no singular ou no plural, sabemos que ele está na origem de todas as coisas: "o poderoso neles". A falta de discernimento espiritual da primeira humanidade criada levanta a questão sobre a identidade de um criador, o nome "Elohim" reflete esse conhecimento difuso do que ele é, estimula nossa imaginação, estamos num "Monopoliheletismo". Não procure esta palavra fantasiosa no dicionário, eu simplesmente expresso a presença do politeísmo, do inferno e do monoteísmo na mente humana no início da nossa humanidade. Por outro lado, o capítulo 2 de Gênesis melhora nossa compreensão, entendemos que seu nome é "o Eterno", Êxodo 3:14, confirmando que aquele que é o autor da criação é um ser (monoteísmo) e que é ele quem explica a boa cosmologia referindo-se ao homem (o cultivo do homem no jardim do Éden). "Eterno" é o "eu era, eu sou, eu serei"; ele é a Existência, o único "eu sou" ou na terceira pessoa: Ele É. Temos um monoteísta puro, apenas um Pai da criação.


Gênesis 1

- Versículo 1: "No começo (Tempo) Deus (Inteligência) criou (pela energia) os céus (Espaço/Dimensões/matéria) e nesta terra (planeta)."

Existem diferentes teorias científicas e o Big Bang não é incompatível com a existência de um criador, uma vez que temos um começo. Eterno é a fonte de grande energia e a organização do universo, tudo é incrivelmente preciso. No passado, foi dito que o universo era infinito e estático (o maior erro de Einstein com Lemaître). Segundo a Bíblia, nosso universo é criado (Salmo 148:1-5) e os céus parecem se expandir (Isaías 45:12), seu hospedeiro (estrelas, sol e depois lua) são como anjos organizados para segurar nossos céus. O universo pode se renovar continuamente, alguns sóis saem e outros aparecem, como se estivéssemos num grande corpo feito de matéria visível e invisível que respira e renova estas células.
- Versículo 2: O planeta estava deserto e desordenado como muitos outros planetas, os termos "tohu-bohu" também são usados em Jeremias 4:23-26. O autor nos diz que o sopro do Eterno (espírito do Eterno) cobriu nosso planeta que continha água em sua superfície, por isso o "planeta azul" tinha um pensamento do Eterno para ele. O criador quer dar vida, ele cobre o planeta como uma galinha cobre os ovos.
- Verso 3-4: A palavra do Eterno não é criada, é uma luz, a expressão de sua identidade. Eis que a luz "apareceu" na Terra. O próprio Eterno é a verdadeira luz (Salmo 4:6; 2 Samuel 22:29; 1 João 1:5; Salmos 119:105), o sol não tem utilidade sem a vontade do Eterno de trazer a luz que dá vida (Apocalipse 22:5).

- Versículo 5: As palavras dias (luz) e noites (escuridão) são usadas. Um dia no Gênesis marca uma etapa de criação. Os termos "dia" e "noite" implicam numa rotação. Em arqueologia, sabemos que os oleiros da Mesopotâmia faziam selos de cilindro que giravam sobre si mesmos (Jó 38:12-14), exatamente como a terra.
- Verso 6-8: A água muda seu estado pela luz e calor na Terra. Encontramos uma separação entre a água líquida (água inferior) e a água que escapa para o ar (água superior), de modo que existe a atmosfera chamada "expansão". É um espaço de oxigênio onde ocorrerá o ciclo da água, temos uma descrição do mesmo em Jó 36:27-27. Na época ou na visão do autor deste texto, as condições no planeta não permitiam observar as estrelas ao redor da Terra por causa dos gases e das grandes nuvens.
- Verso 9-13: A seca aparece porque a água na forma líquida continua a diminuir na superfície da terra, a temperatura ideal é definida. Aparecem os primeiros pântanos e são produzidas as primeiras plantas (algas...). Sem luz total, as plantas conseguem existir mesmo no fundo do oceano. Os céus logo serão observáveis...

- Versículo 14-19: O sol, as estrelas e a lua são apresentados pela expressão "que haja luzes", devemos entendê-lo por um "eis as luzes...", como para a luz do versículo 3 que apareceu na Terra num momento específico. Eles não são criados naquela época, já que os céus já foram criados no versículo 1, o sol e as estrelas apareceram apenas para servir de reparos.
- Versículos 20-23: As primeiras formas de vida aparecem na água de acordo com a Bíblia e a ciência. Temos criaturas grandes e menores que se movem (larvas...), outras têm asas acima da água (vol
átil.). A palavra traduzida como "aves" deve ser traduzida como "criaturas voadoras" porque os hebreus não tinham a mesma categorização de espécies que nós temos.
Por exemplo, o morcego não é um pássaro ou mamífero, mas uma "criatura voadora".
- Verso 24-31: A terra por sua vez produz seres vivos, e o homem será criado no final deste sexto dia. A palavra "Adão" se refere à raça humana, não apenas um homem é criado.
Temos uma nova criatura, um novo DNA. O homem será ordenado a multiplicar-se. Não havia apenas um homem ou um casal, Caim sabia disso quando foi expulso de seu lugar.

Gênesis 2

- Versículo 1-3: O capítulo 1 deveria normalmente ter parado nos versículos 3-4, foram os homens que organizaram os capítulos da Bíblia e a separação dos livros.
- Versículos 4-5: Vamos primeiro notar a repetição e inversão dos termos "céus" e "terra" para ler "terra e céus". Esta inversão explica que o homem fará sua terra e estes céus a partir dos céus e da terra criados pelo Eterno no capítulo 1. A inversão de termos também pode nos fazer passar de uma leitura literal para uma leitura espiritual. No esquema espiritual do Eterno, nada existe sem o desejo de ver o homem cuidando da criação e temos pela primeira vez o esquema espiritual visto pelo homem, a idéia de cultivar o solo, temos uma vegetação que cresce apenas com a mão do homem. Imagine-se numa terra seca como no Egito ou no deserto deste site, você precisa de água para que o homem possa viver e cultivar. Este solo precisa de chuva, para receber a palavra.
- Versículo 6: A palavra terra em hebraico é chamada "eretas" e se refere a todo o planeta, um país ou uma parte de um território. A água vem em toda a superfície de um solo que parece estar localizado na Mesopotâmia (Salmo 107:35; Isaías 41:18-19).

- Versículo 7 : O homem não é criado neste versículo, ele é formado ou determinado figurativamente (para entrar no plano do Eterno). É por esta razão que o homem é colocado em um jardim. Pensa-se muitas vezes que este versículo explica a origem do homem a partir do pó da terra, eu prefiro pensar que é um estado: "o pó do homem (Gênesis 3:22) a partir da terra". Assim, o homem do pó da terra tem forma espiritual (Zacarias 12:1 Jó 32:8; João 20:22) e ele desenvolverá suas inclinações espirituais (más, boas).  A alma não é uma parte invisível e eterna separada do homem.
- Versículos 8-17: O homem está num jardim para ser cultivado; ele tem a capacidade de receber a lei espiritual do Eterno. No apoc
alipse, reaparece a árvore da vida deste jardim, o que prova que o jardim não é literal. Entretanto, como já dissemos, provavelmente estamos na Mesopotâmia, porque o conhecimento e o reflexo do Eterno vem deste núcleo do homem, o ancestral de Abraão.

- Versículos 18-20 : Os animais não são criados, eles são modelados como o homem no versículo 7. Aqui estamos falando dos animais dos campos que vão em direção ao homem, nem todos os animais da terra, alguns deles são naturalmente perigosos. O homem certamente os domará em seu jardim, ele os nomeará e trabalhará com eles.

- Versículos 20-25: Pela primeira vez, o homem do pó é chamado de um homem responsável e justo (em hebraico: Ish). O homem também se tornará consciente da importância de seu parceiro, a mulher (Isha). A palavra "costela" não deve ser tomada literalmente como o resto deste capítulo, poderia significar "ao lado" em sentido figurado. Eles formam uma só carne, a palavra carne, "basar" em hebraico, refere-se não apenas à pele física, mas também à parte psicológica ou mental do homem. O homem perceberá a natureza importante da mulher (Isha), o ser indispensável para a multiplicação da vida, de sua alma. Adão estava consciente de sua simetria com a mulher, como as costelas de nosso corpo, exceto pela pequena barra extra no cromossomo 23 "XY", que distingue o sexo.

Simbolo :

- A cobra do jardim: Não é um anjo demoníaco, mas claramente uma bicho do campo: "a besta do campo que Deus tinha feito". Esta serpente representa o raciocínio animal, aquele que observamos e podemos praticar naturalmente. O espírito animal não se eleva a Deus. Segundo os herpetologistas, a serpente se rebaixou durante sua evolução, um simbolismo inspirado no livro que especifica que a serpente rastejará no chão !

- As árvores do jardim: As árvores freqüentemente representam os homens; elas produzem frutos (Salmo 37:35; Provérbios 15:4; Jeremias 17:8; Ezequiel 17:24 e 31:8; Mateus 3:10; Lucas 6:43; Apocalipse 22:2). Adão se torna o portador dos frutos do conhecimento do bem e do mal, enquanto Yeshua representará aquele que manifesta os frutos da árvore da vida.
A árvore da vida é proibida a Adão porque ele deve aprender e escolher o bem.

- Remoção de Enoque: Algumas pessoas pensam que ele foi no céu, sem passar pela morte, eu prefero pensar que ele evitou a morte em um contexto particular, quando as pessoas queriam matá-lo. A Bíblia diz que ele morreu (Hebreus 11:5 + versículo 13). Talvez os raptos também pode representar a preservação de um tipo de espírito humano, fiel ao Eterno, que se renova na história e volta.

- A longa vida dos patriarcas: Simbolismo de várias gerações passando por nomear os personagens mais importantes, os autores da Bíblia não sabiam que este longo tempo transcorreu entre o início da humanidade e seu tempo. A Bíblia LXX e a Peshitta têm números diferentes, eles são números sagrados, simbólicos.
- Os Filhos de Deus em Gênesis 6: Os homens do Eterno eram chamados "filhos de Deus", os da genealogia de Seth. As filhas dos homens são outros homens que existiram e os descendentes de Caim. Os gigantes (os caídos) são uma categoria de homens grandes e fortes, conhecemos os dois homens Golias da Bíblia, um deles foi morto pelo rei Davi. Soubemos que o Eterno criou a raça humana (adam), houve outros homens que se multiplicaram no tempo de Caim. Nem todas as pessoas do mundo provêm da genealogia de Adão, o ancestral de Jesus.

- Dilúvio de Nóe: Inundações numa ou varias zonas geograficas do planeta. "Toda terra" pode ser a terra conhecida naquela época : Gênesis 6:8; Colossenses 1:23; Romanos 10:18; Atos 2:5; Isaías 13:5; Gênesis 41:57. O fenômeno poderia ter sido sentido no mundo todo, com diferentes niveis de desastre, dependendo da localização, mas a água não cobriu o globo terrestre. No final da era do gelo, por exemplo, causou transtornos.
Várias teorias tentam explicar a inundação de Noé: abertura do estreito de Bósforo, a geleira escandinava, um cometa, terremoto, inversão dos pólos...
Os sumérios, chineses, indianos, celtas da Europa, incas da América do Sul, pigmeus da África, os povos do Alasca, Austrália, China, Índia, Lituânia falam de uma inundação.

Não podemos ignorar o fato de que uma homogeneidade de enchentes permaneceu na memória coletiva do homem.
Em comparação com a narrativa bíblica, os
números são harmonizados e o barco, se existisse nesta dimensão, representa o homem salvo de desastres através da palavra do Eterno. Esta é a imagem utilizada para o batismo. O mito se harmonizou como em outras culturas com a crença, não devemos esquecer que a transmissão foi oral, se o fenômeno ocorreu antes do período da Escritura. Note que a palavra hebraica para "montanha" pode ser traduzida como "colina". Leia também o Salmos 104 que fala do tempo da criação e não do tempo do dilúvio, o texto diz que a água não cobrirá mais o globo terrestre (Gênesis 1:2). O arco-íris foi usado como um sinal de que o Eterno não mais derramará água desta maneira sobre a humanidade.

- Torre de Babel : A diferença de línguas já existia antes do episódio da torre de Babel (Gênesis 10:5), e isto é mais uma prova de que esta ainda é uma terra especial, de um povo. É preciso ter um coração simples e puro para não dar à luz uma civilização que se eleve acima dos deuses.

 


Obrigado por respeitar o trabalho realizado, compartilhando o link deste site.


¹ "Edição Edmon J.Safra Artscroll", pagina 19, sobre versículo 22, comentario de Rashi no Targum (Yonathan, Berèchith 3, 22).

² Nota da "Biblia anotada" ("Bible annotée") em francês.

 

www.desertpath.net

Kevin FOUQUERE
também chamado Hans

Setembro de 2014